Verificado Verificado
Como ter ereções mais fortes, mais firmes e mais duradouras

Como ter ereções mais fortes, mais firmes e mais duradouras

Saber como ter ereções. Como conseguir ter ereções mais fortes.

Pode ser algo que pensou que nunca teria de se preocupar. Antes, as ereções provavelmente apenas aconteciam. E nunca teve de questionar o porquê.

Isto é, até terem deixado de acontecer.

Daniel Atkinson
Revisto clinicamente por
Daniel Atkinson, Líder Médico de Clínica Geral

As ereções dos homens são complicadas e os problemas são comuns, pelo que as dificuldades em consegui-las não devem ser motivo de vergonha. Mas a DE pode muitas vezes ser o sintoma de más escolhas de estilo de vida ou um problema de saúde mais vasto. Coisas como exercício, uma boa dieta e evitar demasiado álcool podem ajudá-lo a ter ereções mais firmes.

Índice
Este artigo foi útil?

Como adequar o seu 'estilo de vida' para ter melhores ereções

Talvez já tenha ouvido dizer que não há nada que valha a pena que seja fácil. O mesmo se aplica a manter-se ereto sem comprimidos se se debater com a DE. É possível conseguir ereções mais firmes adotando certas mudanças no estilo de vida e por vezes isto significa mudar hábitos regulares e introduzir novos hábitos.

Os benefícios do exercício são vastos e bem conhecidos, mas aqui vai uma rápida recapitulação:

Bom para o coração e para o sistema vascular;
Ajuda a manter um peso saudável;
Reduz o risco de várias doenças graves, incluindo diabetes tipo 2, acidente vascular cerebral e cancro;
Estimula a saúde mental e o humor;
Melhora os níveis de energia.

Por isso, pode pensar no exercício um pouco como uma vitamina maravilhosa. Exercitar-se moderadamente durante 150 minutos por semana, ou rigorosamente durante 75 minutos por semana, é suficiente para diminuir os riscos graves e manter a sua forma física .

E sabe para que é que o exercício físico também é bom? Para as ereções. Isto porque a DE é frequentemente causada por problemas vasculares, que interferem com a sua capacidade de obter ou manter uma ereção. E o exercício é bom para a sua saúde vascular.

Cardio e ereções

O exercício cardiovascular, também conhecido como exercício aeróbico, é a atividade física “relacionada com, envolvendo, ou exigindo oxigénio livre” . No ginásio, já deve ter ouvido falar de máquinas de ‘cardio’. Exemplos destas máquinas incluem a passadeira, máquinas elípticas e de ciclismo.

Mas não é necessário ir ao ginásio para um bom exercício cardiovascular. Outros exemplos incluem caminhadas rápidas, jogging e corrida, e os sintomas de disfunção erétil podem beneficiar ao longo do tempo destes simples exercícios cardiovasculares (bem como de muitos outros).

A prática de cardio regular ao longo do tempo ajuda a melhorar a sua função cardiovascular e a sua saúde no geral, e também ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo para o tecido peniano e músculos; nomeadamente os corpos cavernosos.

Isto porque as ereções dependem da boa saúde vascular e do fluxo sanguíneo. Os estudos mostram que os homens que praticam atividade física em níveis mais elevados relatam menos sintomas de impotência .

O efeito do exercício aeróbico na melhoria da saúde mental e do humor em geral também é bem conhecido . Isto porque o corpo produz endorfinas quando pratica exercício. Isto pode ser benéfico para a disfunção erétil: particularmente a que é causada por fatores psicológicos como a ansiedade ou a depressão.

Treino de força e ereções

Então já falámos dos exercícios de cardio, mas e os exercícios de força?

Pode-se pensar no exercício como duas faces de uma moeda. É importante que consigamos um bom equilíbrio entre exercício aeróbico e exercício de força, ou treino de resistência.

Os exercícios de força são aqueles que visam os músculos e constroem força e resistência. Está frequentemente associado a pesos, mas pode ser classificado de três formas:

  • Calisténicos
    Exercícios calisténicos ajudam a construir músculo e áreas específicas sem depender de nada exceto o próprio peso. Exemplos destes exercícios incluem elevações supinadas, flexões e elevações pronadas.
  • Isométricos
    Exercícios isométricos são aqueles que envolvem contração estática de grupos musculares sem movimento visível no ângulo das articulações. Exemplos destes exercícios incluem a prancha e a ponte com glúteos.
  • Pliométricos
    Os exercícios pliométricos, também conhecidos como treino de salto obrigam os músculos a gerar muita força em curtos períodos de tempo. Exemplos destes exercícios incluem saltar à corda ou agachamento com salto.

Estes exercícios e grupos de treino de resistência são concebidos para construir músculo e resistência, mas muitos deles irão também aumentar o ritmo cardíaco e a respiração. Isto é benéfico para a DE, porque boas ereções dependem de um bom fluxo sanguíneo e circulação.

O exercício de força também tem impacto nos níveis de testosterona, e em alguns casos faz com que o corpo produza mais, e a testosterona desempenha um papel muito importante na libido.

O yoga e a meditação podem ajudar nas ereções?

O yoga é uma forma antiga de exercício de baixa intensidade que se concentra na força, alongamento e respiração. Há muito que se afirma que o yoga é benéfico para a saúde mental e o humor.

A meditação ‘foca a mente durante um período de tempo, em silêncio ou com a ajuda de cânticos, para fins religiosos ou espirituais ou como um método de relaxamento’ .

Mas quão eficazes são estas técnicas? Podem ajudar na disfunção erétil? O yoga exigirá alguma forma de esforço físico, que ajudará com a circulação e o fluxo sanguíneo (especialmente quando realizado regularmente). Isto, por sua vez, pode ajudar nos sintomas de impotência.

Mas e a meditação para a disfunção erétil? Bem, pode ter um efeito mais psicológico do que físico. Isto porque muita meditação é sobre (através da prática) deixar passar a preocupação e o stress. Trata-se de se sentir confortável consigo próprio e com a sua mente.

Pode achar que não é para si, mas a evidência sobre o impacto da prática da meditação na saúde mental é muito significativa. Um estudo constatou que “a terapia de grupo de mindfulness oferece uma via de tratamento viável e potencialmente promissora para homens com DE situacional” .

Ensinam-nos desde tenra idade a importância dos alimentos (“comer legumes”, “comer uma maçã por dia evita consultas ao médico”, “as cenouras fazem bem à visão” e por aí fora).

Embora algumas destas frases sejam exageradas, todas elas têm algum fundo de verdade. A fruta e os legumes são um dos grupos alimentares mais importantes, e como parte de uma dieta equilibrada – têm uma série de benefícios de grande alcance.

A razão para isto é que os diferentes grupos alimentares, e os diferentes alimentos dentro desses grupos, contêm diferentes vitaminas e minerais com variadas funções no corpo. Por exemplo, o leite contém cálcio, que é benéfico para os dentes e ossos.

Adotar uma dieta saudável reduz o risco de desenvolver muitas doenças crónicas, tais como doenças cardíacas, AVC e cancro. E algumas condições médicas em que uma dieta pobre é um fator determinante podem danificar os vasos sanguíneos, e ter um efeito prejudicial nas suas ereções.

Mas haverá alimentos em particular que sejam mesmo bons para a DE?

Pode ter visto artigos de ervanários e adeptos do holismo que afirmam que se pode comer alho e mel para disfunção erétil, ou especiarias como pimentão e cominho. Espinafres, pimenta-caiena, café e aveia também estão por vezes nestas listas. Mas a evidência de uma correlação entre qualquer um destes alimentos e a melhoria da função sexual é, na melhor das hipóteses, anedótica.

Embora não existam alimentos especificamente conhecidos para tratar a DE, comer uma dieta equilibrada irá ajudá-lo a manter-se geralmente saudável; e ser geralmente saudável reduz o seu risco de sofrer de DE.

Sim, é a resposta curta. As drogas recreativas, o tabagismo e o consumo de álcool têm todos a capacidade de causar danos graves e a longo prazo no organismo e de afetar a capacidade de obter ou manter uma ereção.

As drogas recreativas incluem drogas ilegais, mas também medicamentos prescritos se forem mal utilizados e tomados recreativamente. O uso de drogas pode ter impacto nos vasos sanguíneos e na função vascular, e também no desejo sexual e na libido.

A nicotina, também uma droga, tem um efeito semelhante. Fumar pode diminuir a libido, mas também causar muitos problemas de saúde que têm impacto na saúde cardiovascular. Isto, por sua vez, pode causar problemas nas ereções.

Beber álcool também acarreta riscos, especialmente se se beber demasiado a longo prazo. O álcool interfere com a capacidade de obter uma ereção por uma série de razões a longo e a curto prazo.

Ereções e drogas recreativas

As drogas podem ser perigosas de muitas maneiras, especialmente quando existe dependência . Mas o consumo recreativo de drogas também pode ter impacto nas ereções e causar impotência.

As drogas são más para as ereções por uma série de razões.

Por exemplo, drogas como a cocaína e o speed, que induzem um efeito estimulante no cérebro, também podem fazer com que os vasos sanguíneos se estreitem e fiquem demasiado apertados. A disfunção erétil também se pode tornar mais grave se estes tipos de drogas forem mal utilizados durante longos períodos de tempo.

Outros fármacos como barbitúricos, e antidepressivos receitados, que por vezes são mal utilizados ou tomados de forma recreativa, podem também reduzir a libido e o desejo sexual.

Ereções e tabagismo

É bem conhecido que fumar é incrivelmente perigoso e viciante. De facto, em alguns países como Portugal, é uma das maiores causas de morte – onde cerca de 14% da população fuma . O uso de nicotina aumenta o risco de vários cancros, doenças cardíacas, ataque cardíaco, AVC, vasos sanguíneos danificados, pneumonia, DPOC e muitas outras condições.

Mas se isso não foi suficiente para o fazer repensar sobre o tabagismo, fique a saber que também aumenta as hipóteses de desenvolver disfunção erétil. Porquê?

Porque os cigarros contêm muitos químicos, muitos dos quais são tóxicos para o corpo humano. Exemplos incluem o monóxido de carbono, o cianeto de hidrogénio e o arsénico . Muitos destes químicos nocivos podem danificar os vasos sanguíneos que bombeiam o sangue à volta do corpo, e para o pénis, por vezes permanentemente. A nicotina também tem um efeito imediato na redução do fluxo sanguíneo e na constrição dos vasos sanguíneos.

Mas isto não é tudo. Se desenvolveu um problema de saúde grave e crónico devido ao tabagismo – como doenças cardiovasculares ou cardíacas – isto também tem um impacto sobre as suas ereções.

Por isso é melhor evitar fumar por completo.

Ereções e álcool

O consumo indevido de álcool pode comportar muitos riscos – inclusive para as suas ereções. De facto, o consenso entre especialistas é que nenhum nível de consumo pode ser classificado como “sem risco”. .

Isto levou os profissionais médicos a criar diretrizes de consumo de ‘baixo risco’ para ajudar a manter os riscos do consumo de álcool a um nível mínimo. Isto corresponde a 14 unidades de álcool por semana, distribuídas pelos dias da semana, com dias sem consumo de álcool no meio. Para dar uma ideia de como isto parece na prática:

Bebida Volume ABV Unidades de álcool
Cerveja Caneca (568ml) 4% 2.3
Vinho Copo (175ml) 13% 2.3
Cidras Caneca (568ml) 4.5% 2.6
Bebidas espirituosas Shot (50ml) 40% 1
Champanhe Copo (125ml) 12% 1.5

O consumo excessivo de álcool – ou seja, beber mais de 14 unidades por semana de forma consistente – pode aumentar o risco de uma série de problemas de saúde. Estes podem incluir problemas de tensão arterial, diabetes, doenças cardíacas, AVC, doenças hepáticas e problemas digestivos.

Das causas físicas da DE, a doença cardiovascular foi a causa de 40,82% das vezes, e a diabetes 33,67% . E estas são duas condições às quais o consumo excessivo de álcool aumenta o risco de ocorrência.

Mas o álcool também pode ter efeitos a curto prazo na capacidade de obter uma ereção, nomeadamente devido à forma como reage no corpo e afeta o sistema nervoso central. É bem sabido que uma noite de muitas bebidas alcoólicas pode diminuir as suas hipóteses de ter o pénis ereto. Isto porque o álcool é um depressivo, e tem impacto na capacidade do cérebro de enviar mensagens químicas para onde precisam de ir (neste caso, para o pénis).

Portanto, mesmo que não tenha um problema persistente com a DE, é melhor manter-se dentro de limites sensatos se tiver a esperança de ter uma ereção mais tarde.

Dormir pode ajudar nas ereções?

De acordo com o NHS, 1 em cada 3 pessoas sofre de problemas de sono e de privação do sono.

A falta de sono pode ser perigosa por uma série de razões. A curto prazo, pode fazer com que se sinta cansado, sonolento, mal-humorado e stressado. A longo prazo, pode aumentar o risco de vários problemas de saúde, incluindo a obesidade, doenças coronárias e diabetes e até reduzir a esperança de vida.

Os efeitos a curto prazo da privação do sono, aqueles que afetam o humor, podem também interferir com a sua capacidade de ter uma ereção porque simplesmente não lhe vai apetecer. Pode sentir-se cansado, stressado ou sem energia.

Os efeitos a longo prazo da privação do sono também podem danificar, por vezes permanentemente, o sistema vascular e os vasos sanguíneos. Isto tornará extremamente difícil manter ou conseguir uma ereção.

Por muito que gostássemos, não existe cura milagrosa instantânea para problemas de ereção como a DE. Se quiser saber como manter uma ereção por mais tempo, há passos simples que pode dar, como já foi dito.

Isso inclui praticar exercício regularmente, com uma boa mistura de exercícios aeróbicos e de força, evitar drogas recreativas e não fumar e seguir as diretrizes de consumo de álcool “de baixo risco”. Quantas mais práticas de saúde como estas praticar, tanto melhor será a sua capacidade de se manter ereto durante o sexo.

As ereções acontecem porque, quando excitado, o sangue circula para o pénis e preenche duas câmaras musculares conhecidas como corpos cavernosos. Manter uma ereção significa que, uma vez o pénis preenchido com sangue, os músculos da base podem contrair-se o suficiente para o manter lá – assegurando que se mantém duro.

Se quiser saber mais sobre a gravidade dos seus sintomas de DE, pode realizar um questionário do Índice Internacional de Disfunção erétil. Saber o quanto sofre de impotência pode ajudar a informar as medidas que toma para manter o seu pénis duro, e como fazer com que uma ereção dure mais tempo.

Se alguma vez se perguntou como obter uma ereção, ou mesmo como controlar uma ereção, viver um estilo de vida saudável é apenas metade do que precisa de acontecer. Também precisa de estar excitado.

Um dos maiores equívocos sobre os medicamentos para a DE é que melhoram a libido e nos excitam sexualmente, mas isto não é verdade. Estes só ajudam os vasos sanguíneos a dilatar, permitindo que o sangue flua para o pénis.

Quando se está excitado, o cérebro envia sinais químicos para o pénis. Os vasos sanguíneos no pénis dilatam-se, permitindo que o sangue flua para dentro. Uma vez preenchidos, os vasos sanguíneos na base ficam constritos, o que “aprisiona” o sangue, mantendo o pénis ereto.
Simplesmente, se não estiver excitado, terá dificuldade em conseguir uma ereção.

Se tiver dificuldades em se conseguir excitar, poderá ajudar:

  • Assegurar-se de que se sente confortável e empenhado;
  • Se estiver com um parceiro sexual, a confiança é a chave;
  • Remover quaisquer distrações
  • Dar tempo suficiente aos preliminares
  • Falar com o seu parceiro ou parceira sexual se estiver a sentir-se ansioso com as relações sexuais

Porque é que a ejaculação torna as ereções mais fracas? Porque é que é tão difícil permanecer firme, ou ereto, após ter um orgasmo?

Resposta: o período refratário, que é definido como o período diretamente a seguir a um orgasmo em que a pessoa já não responde sexualmente . É mais frequentemente observado nos homens, enquanto nas mulheres é uma área de foco clínico mais complexa. Nos homens, o período pode ser pensado em duas fases.

Fase 1: Após um orgasmo, é fisiologicamente impossível obter uma ereção ou ejacular de novo.

Fase 2: Também pode ocorrer um período refratário psicológico, em que o homem se sente realizado e já não se interessa pelo sexo.

Quanto tempo leva para voltar a ter uma ereção depois de ejacular?

O período refratário é diferente para todos os homens. Por vezes pode sentir-se pronto para voltar a ter uma ereção em apenas alguns minutos, mas às vezes pode durar horas ou mesmo dias.

Períodos refratários mais longos tornam-se mais comuns com a idade, mas outros fatores podem afetar a sua duração, incluindo a saúde cardiovascular. Também se alega que certos exercícios ou técnicas de treino podem reduzir o período refratário, como o treino muscular do pavimento pélvico (TMPP.) Mas isto não tem sido estudado extensivamente.

Também pode valer a pena falar com um médico ou especialista em saúde sexual se achar que o seu período refratário é demasiado longo.

Quando é considerada “DE” e quando devo obter ajuda?

care-iconEntão, já tentou:

  • Comer bem, e frequentemente;
  • Reduzir a ingestão de álcool;
  • Evitar as drogas recreativas;
  • Deixar de fumar;
  • Dormir pelo menos seis a oito horas por noite.

Se ainda tiver problemas relacionados com as ereções, existem outras opções disponíveis.

O tratamento pode ajudar porque limita a ação de uma enzima específica, conhecida como PDE5, que faz com que os vasos sanguíneos se estreitem e fiquem demasiado apertados. Tratamentos como o Viagra e o sildenafil são inibidores da PDE5. Basicamente, eles informam o corpo para “abrir as comportas”. Isto significa que, quando excitado, o sangue pode fluir facilmente para o pénis, resultando numa ereção.

Os inibidores da PDE5 são frequentemente benéficos para os homens que adotaram várias mudanças de estilo de vida, mas não estão a ver quaisquer melhorias nas ereções. Pode falar com um profissional médico no Treated sobre medicamentos para a DE como o Viagra e outros inibidores da PDE5. Responda a algumas perguntas sobre si e a sua saúde, e este irá sugerir tratamentos adequados para si.

Reference Popover #ref1
Reference Popover #ref2
Reference Popover #ref3
Reference Popover #ref4
Reference Popover #ref5
Reference Popover #ref6
Reference Popover #ref7
Reference Popover #ref8
Reference Popover #ref9
Reference Popover #ref10
Reference Popover #ref11
Reference Popover #ref12
Reference Popover #ref13
Reference Popover #ref14
Reference Popover #ref15

Como obtemos informação.

Quando lhe apresentamos estatísticas, dados, opiniões ou um consenso, iremos dizer-lhe de onde vieram. E só apresentaremos dados como clinicamente viáveis se estes forem provenientes de uma fonte respeitável, tal como um órgão de saúde financiado por um Estado ou Governo, uma revista médica analisada por pares ou um órgão de análise ou dados reconhecido. Para mais informação, leia a nossa política editorial.

Diga-nos o que quer ouvir.

Deseja que abordemos um assunto num artigo futuro? Diga-nos.

Mantenha-se a par.

Queremos que os cuidados de saúde sejam mais sobre si. Subscreva à nossa newsletter para obter artigos de saúde personalizados que fazem a diferença.

Aviso: A informação fornecida nesta página não substitui o aconselhamento médico profissional, diagnóstico, ou tratamento. Em caso de dúvidas ou preocupações sobre a sua saúde, por favor, consulte um médico.

Sugerir um guia de saúde

Dê-nos a sua ideia aqui.

(E deixe também o seu e-mail, de modo a podermos informá-lo se escrevermos um artigo com base na sua sugestão).

Do que gostou acerca disso?

Do que não gostou acerca disso?

Sugerir um tratamento

Se procura um tratamento ou doença em particular, informe-nos e nós iremos investigar por si.

Podemos enviar-lhe um e-mail sobre o problema, mas pode optar por não receber estas comunicações em qualquer altura.

Pergunte ou sugira algo.

Submeta aqui a sua pergunta, ou diga-nos se encontrou um problema no nosso site.

Podemos enviar-lhe um e-mail sobre a sua consulta, mas pode optar por não receber estas comunicações sempre que desejar.
4.9

A nossa classificação média baseada em 230 revisões

Conte-nos qual é o problema

[Accept Terms Field Text] Aceite ostermos de utilização.
Podemos enviar-lhe um e-mail sobre o problema, mas pode optar por não receber estas comunicações em qualquer altura.

Iremos responder-lhe muito em breve. O nosso objetivo é responder a todas as questões no espaço de um dia útil.

Está inscrito na nossa newsletter. Fique atento à sua caixa de entrada para a nossa última atualização.

news-letter

Subscreva a nossa newsletter para todas as últimas novidades sobre Disfunção Erétil e muito mais.

Ao clicar em 'Subscrever agora', está a concordar com a nossa Política de Privacidade.