Quer esteja a tentar perder ou a manter o peso, pode ser frustrante deparar-se com o efeito ioiô, que consiste em flutuações de peso, apesar dos esforços para o controlar.

Existem vários fatores que podem levar ao efeito ioiô, alguns dos quais mais fáceis de controlar do que outros.

O que é o efeito ioiô?

A melhor forma de descrever o efeito ioiô consiste numa perda de peso que é bem sucedida no imediato ou a curto-prazo, mas mal sucedida a longo-prazo. O peso pode ser reduzido devido a mudanças drásticas nos hábitos alimentares como por exemplo uma dieta extrema, porém, esta aumenta novamente por este tipo de dietas se revelar insustentável. 

Não existe uma definição clara do efeito ioiô em termos de escala. Esta definição pode ser usada para descrever pequenas perdas de peso, seguidas de um aumento de peso ou, perdas de peso maiores. 

Num estudo, publicado no Metabolism Journal, o efeito ioiô é definido como a perda entre 5 a 10 Kg antes de recuperar novamente este peso.

Porque motivo ocorre?

As pessoas podem recuperar o peso perdido por várias razões.

Uma das mais comuns é a dieta ioiô ou dieta rápida.

Isto pode incluir deixar passar refeições ou passar demasiado tempo em jejum, reduzindo abruptamente o aporte de calorias diário. Este método tem sido popular entre pessoas que desejam perder peso rapidamente.

Contudo, este também contribui para uma alteração do metabolismo.

As calorias são uma parte vital do processo metabólico. O corpo converte-as em energia, permitindo que os músculos e os órgãos funcionem normalmente. 

Quando existe uma redução significativa do número de calorias ingeridas, o metabolismo do corpo adapta-se e torna-se mais lento, de forma a conservar a energia a que tem acesso.

Se consequentemente aumentar o aporte de calorias, após adotar uma dieta baixa em calorias, o corpo pode não se adaptar a esta alteração de hábitos rapidamente e continuar a metabolizar as calorias de forma mais lenta. A gordura será assim armazenada nas reservas do corpo, levando a um aumento de peso.

Quais são os seus efeitos?

Existem várias formas do efeito ioiô afetar a sua saúde.

Psicologicamente, aumentar de peso rapidamente após emagrecer pode ter efeitos na sua autoestima, podendo também reduzir a sua motivação para perder peso no futuro

Perder e ganhar peso sucessivamente pode ter também efeitos físicos, levando a uma sensação de letargia e alterações de humor.

O efeito ioiô pode ser perigoso para a saúde?

Os efeitos físicos a longo prazo têm sido alvo de um debate intenso.

Um estudo, que mediu os níveis hormonais de participantes com excesso de peso após se submeterem a uma ingestão de calorias diárias entre 500 e 550, concluiu que as hormonas responsáveis por controlar o apetite eram significativamente diferentes um ano após completar este breve programa.

Este estudo, apesar de ter tido uma significativa cobertura nos media foi condenado por vários fatores limitantes, tal como compilado por Baizan e publicado no NHS Choices.

Contrariamente, outro estudo (publicado no Metabolism Journal tal como mencionado acima) concluiu que as dietas ioiô não tem efeitos significativos nas tentativas futuras para perder peso ou na saúde. Porém, mas uma vez este estudo apresentou limitações, identificadas pelos serviços de saúde britânicos, tendo os resultados sido reportados pelos participantes.

Mais investigação é necessária de forma a determinar se as dietas ioiô são um risco a longo prazo para a saúde.

As pessoas com excesso de peso que tentam emagrecer são encorajadas a fazê-lo de forma moderada e consistente, de modo a evitar os riscos para a saúde que se relacionam com a perda de peso rápida, ajudando a manter uma abordagem positiva relativamente à perda de peso.

Como manter um peso estável?

Um médico pode ajudar a desenvolver um plano de emagrecimento controlado e com efeitos duradouros. Este envolve normalmente uma dieta equilibrada, um plano de exercício físico e por vezes o recurso a medicamentos para emagrecer, especialmente no caso da dieta e do exercício não terem só por si levado aos efeitos desejados.

Página revista em:  24/10/2017