As DST podem passar despercebidas, devido à sua capacidade de serem assintomáticas. Porém, lá porque não vê sintomas visíveis, não quer dizer que não tenha uma DST. É importante ter em conta, mesmo quando uma DST não produz efeitos físicos, que pode ser transmitida de pessoa para pessoa de diversas formas. 

Garantidamente, é mais provável para alguém que tem múltiplos parceiros sexuais contrair uma DST, do que uma pessoa que não tenha. Porém, apesar de algumas pessoas poderem ser mais suscetíveis que outras, ninguém é imune aos seus efeitos.

Como pode saber se tem ou não uma DST?

Aqui iremos discutir os seus sinais e sintomas mais comuns e salientar como estes diferem entre homens e mulheres.

Clamídia

Esta é uma das DST mais comuns, com centenas de casos diagnosticados todos os anos. Esta infeção é causada pela bactéria Chlamydia trachomatis e pode ser transmitida por sexo desprotegido anal, vaginal ou oral ou pela partilha de brinquedos sexuais.

Como pode saber se sofre desta doença?

Tanto os homens como as mulheres podem sofrer de dor ao urinar e corrimento genital. Isto pode significar uma alteração de consistência no corrimento vaginal ou um corrimento branco e baço pelo pénis. 

As mulheres podem notar também dor no baixo abdómen, hemorragia entre períodos e uma menstruação mais abundante. 

Para além disto, os homens podem notar dor testicular. 

Por vezes a clamídia pode afetar os olhos e causar sintomas de conjuntivite, como vermelhidão, corrimento ocular e dor.

Contudo, é importante notar que a clamídia não causa muitas vezes quaisquer sintomas. 80% dos casos femininos e 50% dos caos masculinos são completamente assintomáticos.

Se deixada por tratar, a condição pode levar à infertilidade e a outras complicações.

Gonorreia

A gonorreia é uma doença bacteriana facilmente transmitida de pessoa para pessoa através do sexo desprotegido. A gonorreia pode estar presente tanto em homens como em mulheres sem que estejam visíveis quaisquer sintomas. O número de homens diagnosticados com gonorreia tem aumentando nos últimos anos, muito devido à falta de sintomas desta doença.

Como pode saber se sofre desta doença?

Tanto os homens como as mulheres devem verificar se têm a presença de um corrimento verde ou amarelo a partir do seu pénis ou vagina. Tal como a clamídia, a gonorreia pode infetar os olhos, recto e garganta causando inchaço, corrimento e desconforto tanto em homens como em mulheres. As mulheres podem desenvolver: ardor e dor ao urinar, sensibilidade no baixo abdómen, hemorragia entre períodos ou períodos mais abundantes. Os homens podem sofrer de: inchaço do prepúcio, dor ao urinar e sensibilidade nos testículos. 

Apesar disto, cerca de 10% dos casos masculinos e 50% dos casos femininos são assintomáticos e não apresentam sintomas de todo.

Sem tratamento a gonorreia pode causar problemas de saúde mais graves, incluindo infertilidade.

Sífilis

Treponema pallidum é o nome da estirpe da bactéria que causa a sífilis. A doença é muito mais comum em homens do que em mulheres, com 80% dos casos a ocorrer em homens que têm sexo com outros homens.

Como pode saber se sofre desta doença?

A doença tem três fases. Tanto nos homens como nas mulheres caracteriza-se inicialmente por uma pequena ferida ou úlcera, conhecida clinicamente como chacra. Esta lesão não dolorosa desenvolve-se no local de transmissão que pode ser o pénis, vagina, ânus, dedos, boca, lábios e nádegas. Os nódulos linfáticos podem também inchar. 

Os sintomas de sífilis secundária desenvolvem-se algumas semanas após a lesão estar curada. Esta fase da doença apresenta-se em ambos os géneros como uma erupção cutânea, mais notada nas mãos ou pés e pequenas protuberâncias na pele que se podem desenvolver no ânus de ambos os géneros ou na vulva das mulheres. É também possível sofrer de perda de peso, queda de cabelo, sintomas semelhantes aos da gripe e gânglios linfáticos inchados. Estes sintomas podem aparecer em episódios durante vários meses até que a doença entra numa fase latente. Nesta altura, não estão ativos sintomas, mas a infeção continua presente. Durante a fase primária e secundária a sífilis pode ser tratada de forma relativamente simples com antibióticos. 

Se a sífilis chegar à fase terciária, é possível que se desenvolvam complicações letais.

Herpes

O herpes genital é mais comum em mulheres do que em homens. É uma infeção causada pelo vírus do herpes simplex (HSV) e pode resultar em vesículas dolorosas na área genital. É facilmente transmitida pelo contacto cutâneo com qualquer membrana mucosa.

Como pode saber se sofre desta doença?

Notar a infeção de herpes não é fácil para nenhum dos géneros, porque os sinais de infeção nem sempre estão presentes. O herpes genital pode ser reconhecido pela presença de vesículas dolorosas na zona genital. Contudo, diferentes estirpes de HSV podem infetar diferentes membranas mucosas. Por exemplo, o HSV-1 tende a infetar a zona oral e o HSV-2 a zona genital. Os sintomas mais comuns para homens e mulheres são vesículas nos genitais, dor ao urinar e sintomas semelhantes aos da gripe. Para além disto, as mulheres podem também sofrer de corrimento vaginal e vesículas no cérvix. Os surtos recorrentes da condição tendem a ser menos severos e ter uma duração mais curta. 

Uma vez o vírus contraído, continua a viver no corpo indefinidamente, apesar dos sintomas nem sempre estarem presentes. O tratamento pode ajudar a controlar os sintomas, porém, não existe cura.

Verrugas genitais

As verrugas genitais têm-se tornado mais frequentes nos últimos anos. As verrugas são causadas pelo vírus do papiloma humano, também conhecido como HPV e são transmitidas pelo contacto pele com pele.

Como pode saber se sofre desta doença?

Pequenas protuberâncias formam-se em torno dos genitais, podendo aparecer isoladamente ou em aglomerados com o aspecto de “couve-flor”. Tanto os homens como as mulheres podem contrair a condição, podendo aparecer verrugas em diferentes zonas do corpo. Para as mulheres as localizações mais comuns para o seu desenvolvimento incluem o interior da vagina, a vulva, o cérvix, a parte superior das coxas ou o ânus. Os homens podem notar o desenvolvimento de verrugas no pénis, ânus, uretra, escroto e parte superior das coxas. Os sintomas não ocorrem necessariamente no imediato e o vírus pode permanecer adormecido por várias semanas ou meses. As verrugas são normalmente não-dolorosas, porém pode ocorrer comichão o sensação de ardor. 

Certas estirpes do vírus do HPV podem levar ao cancro cervical nas mulheres.

Tricomoníase

A tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível causada pelo parasita trichomonas vaginalis. Cerca de metade das pessoas com a condição não apresentam sintomas.

Como pode saber se sofre desta doença?

As mulheres podem sofrer de qualquer um dos seguintes sintomas: corrimento vaginal irregular, com aspecto espesso, fluido ou espumoso, de cor amarela ou esverdeada. O corrimento pode ser acompanhado de odor, dor e inflamação em torno da vagina, comichão na parte superior das coxas, dor ao urinar ou durante o sexo e sensibilidade no baixo abdómen. Os homens podem sofrer de inflamação da uretra, prepúcio e próstata. A tricomoníase também pode levar a dor ao urinar ou a ejacular, necessidade de urinar mais frequentemente, ao aparecimento de um corrimento fluido e inchaço da cabeça do pénis conhecido como balanite. 

Os sintomas da tricomoníase são muito semelhantes aos de outras DST, pelo que o diagnóstico pode ser difícil. O seu médico pode testar a doença com um esfregaço da área afetada ou uma amostra de urina no caso dos homens.

Vaginose bacteriana

A vaginose bacteriana não é caracterizada como uma DST apesar de poder causar sintomas semelhantes aos das condições indicadas acima. A bactéria leva a que as mulheres infetadas produzam um corrimento fluido e acinzentado de odor forte. Muitas mulheres não sabem que sofrem de vaginose bacteriana por não desenvolverem sintomas. A vaginose bacteriana não é uma condição grave e pode ser tratada com antibióticos.

Como pode saber se sofre desta doença?

Tal como mencionado acima as DST são assintomáticas, o que significa que as bactérias, vírus ou parasitas que causam a condição podem estar presentes no corpo mas não causar sintomas óbvios. Por este motivo, é importante fazer testes regulares se tiver sexo desprotegido. Se está preocupado sobre a possibilidade de sofrer de uma DST, pode ser testado na consulta de planeamento familiar ou numa consulta privada. A maioria dos testes às DST são simples e podem ser mesmo feitos em casa.

Página revista em:  26/10/2017