O Viagra é o tratamento mais bem conhecido para a disfunção erétil. Já foi usado por milhões de homens durante os últimos 20 anos. Durante este período, estabeleceu-se como o medicamento líder para o tratamento eficaz da impotência.

Porém, quais são as vantagens do Viagra em relação a outros tratamentos para a disfunção erétil?

Duração

Os efeitos do Viagra podem durar até quatro horas

É importante ter em conta que isto não significa que uma ereção se irá manter por quatro horas consecutivas. Pelo contrário, significa que durante este período, o homem conseguirá obter uma ereção se estiver sexualmente estimulado.

Os homens que tomam Viagra têm assim tempo suficiente para uma relação sexual espontânea. Quatro horas é tempo suficiente para que o indivíduo possa ter uma relação sexual sem se apressar.

Tratamentos que não em comprimido, como o MUSE, o Caverject e o Vitaros tendem a permanecer ativos durante períodos de tempo mais curtos (entre 30 minutos a duas horas). Este período mais breve pode ser visto como uma inconveniência para alguns homens.

Início de ação

A maioria dos homens que usa Viagra consegue atingir uma ereção entre 30 a 60 minutos após tomar o comprimido, desde que sexualmente estimulados.

Se o comprimido for tomado após uma refeição pesada, é provável que os seus efeitos demorem mais tempo a iniciar. 

O Viagra pode não ser o medicamento com início de ação mais rápido, porém, o seu início de ação continua a estar indicado para muitos homens.

Comprimido azul fácil de tomar

A cor azul do Viagra é talvez uma das suas características mais bem conhecidas. Engolir um comprimido com ou sem água, continua a ser uma forma fácil, conveniente e discreta de tomar o medicamento, para muitos homens.

Eficácia

O Viagra permanece uma escolha popular para os homens que sofrem de disfunção erétil por ser um medicamento altamente eficaz.

O tratamento está disponível em três doses diferentes (25mg, 50mg e 100mg). Todas as doses apresentaram em ensaios clínicos resultados positivos na função erétil suficiente para relações sexuais (72%, 80% e 85%, respetivamente).

Um relatório presente no New York Daily News em 2015 afirma que o Viagra é “o tratamento mais eficaz para a disfunção erétil”. Este foi baseado num estudo que incluiu mais de 150 ensaios.

A dose inicial de Viagra é de geralmente 50mg, porém, está pode ser aumentada ou reduzida pelo médico, dependendo dos seus efeitos.

Efeitos secundários reduzidos

Todos os medicamentos têm o potencial de causar efeitos secundários e o Viagra não é diferente. De uma forma geral, os inibidores da PDE-5 como o Viagra são muito bem tolerados.

Vários anos de estudos clínicos e testes revelaram que o Viagra é um medicamento seguro que apenas causa efeitos secundários ligeiros a moderados num pequeno número de utilizadores. 

Menos de 1% dos utilizadores do Viagra sofre de efeitos secundários mais graves quando tomam o medicamento.

A dor muscular é listada como um efeito secundário comum (ocorrendo em 1 a 10 em cada 100 homens), segundo a bula do Cialis. No Viagra, a dor muscular é citada como um efeito secundário pouco comum (afetando apenas 1 em cada 100 homens).

Contudo, o relatório mencionado pelo New York Daily News também revela que o Viagra tem “uma taxa mais elevada de efeitos secundários do que outras opções).

Confiança

O Viagra é fabricado pela Pfizer, uma companhia farmacêutica bem estabelecida. 

Desde o lançamento deste medicamento em 1998, o Viagra tratou com sucesso mais homens do que qualquer outro medicamento para a disfunção erétil. Este facto só por si fornece confiança à maioria dos homens que sofre de disfunção erétil, optando por este em relação a outras alternativas de tratamento.

Página revista em:  12/09/2018