O melhor método para deixar de fumar é um assunto sobre o qual cada especialista em saúde tem uma opinião diferente.

Das pastilhas de nicotina ao medicamento prescrito, existem várias opções disponíveis para alguém que quer parar de fumar. No entanto, se houvesse uma solução definitiva que funcionasse para todos, o número de fumadores no mundo seria uma fração do que é atualmente.

Talvez o aspeto mais difícil de deixar de fumar seja o desejo recorrente de acender um cigarro quando a mente vagueia durante tarefas domésticas ou durante a sua rotina no trabalho, quando geralmente acendia um cigarro.

Não pensar em fumar é difícil, especialmente durante os primeiros dias. Mas fica mais fácil com o tempo e, mais cedo ou mais tarde, aqueles que estão a progredir, começarão a pensar em fumar não como algo que estão a tentar evitar, mas apenas como algo que costumavam fazer no passado.

Estes impulsos ociosos, não importa qual método uma pessoa escolha, afetam todos os desistentes; gerenciá-los é o maior desafio.

E sim, certas técnicas psicológicas podem desempenhar um papel importante nesta fase, conforme explicamos abaixo:

1) Confine o fumo ao passado

Um ex-fumador com quem falei disse-me que é útil pensar na sua vida livre do fumo como o advento de um novo "eu", ou seja, parar de fumar não foi a única mudança positiva que fez quando desistiram.

Um método aconselhável é procurar realizar tarefas que nunca conseguia antes, como fazer algumas bricolagens na casa e até mesmo começar a exercitar-se no ginásio.

O que este novo caminho de produtividade faz é incentivar um desistente a não recair. Ele passa a associar fumar com o "velho eu" e o não fumar com o "novo eu".

2) Conheça os seus limites

Sentar-se num comboio ou numa sala de espera pode ser uma experiência desafiadora para um ex-fumador. A mente pode facilmente vagar, e o desejo tentador de fumar ressurgir especialmente durante os primeiros dias.

Durante este período, um recém ex-fumador aprenderá muito sobre os seus limites, afinal todos temos um. Para alguns, basta um livro, um quebra-cabeça sudoku  ou uma conversa telefónica com um amigo para distraí-los e não pensar em acender um cigarro.

A distração é uma arma essencial para o desistente. A melhor coisa que ele pode fazer quando encontra uma técnica de distração que funciona, é ficar com ela durante estes períodos ociosos, até que as primeiras duas semanas tenham passado.

3) O confronto com a tentação

É um dos momentos mais apavorantes de alguém que está a tentar parar de fumar. Seus colegas de trabalho saem para fumar um cigarro e o recém ex-fumador precisa decidir se cai em tentação ou não. Outros tipos de decisão giram em torno do confronto direto com as tentações, como decidir se fica em casa e evita a possibilidade de querer fumar, ou se é social e enfrenta como um teste de que está comprometido com a decisão de não ser mais fumador.

O mais aconselhável seria evitar, pelo menos no início, até que sinta-se mais forte e transforme este confronto em um ato de coragem. O ex-fumador que acompanha os seus colegas numa pausa para o cigarro, mas se abstém de fumar com sucesso, pode se sentir seguro sobre a sua capacidade de resistir à tentação, isto proporcionar uma verdadeira sensação de poder. É um exercício de construção de confiança.

4) São os químicos a falar

Quando uma linha de pensamento leva a sentir-se tentado, como costuma acontecer entre os que recentemente tentam deixar de fumar, pode ser útil lembrar que são os efeitos químicos do processo da desistência.

Uma das chaves para superar as sensações de abstinência é a perceção de que, após um período sem fumar, o corpo recuperará o seu equilíbrio químico e essas sensações de abstinência passarão. Os pensamentos tentadores são apenas um eco daquele último cigarro.

Para conselhos práticos e úteis sobre como deixar de fumar, dê uma olhada nas nossas discussões recentes com médicos e especialistas no assunto:

 

 

Página revista em:  24/08/2018