O Índice de Massa Corporal, abreviado para IMC, relaciona o peso e a altura, dando a conhecer qual o risco para a saúde.

Este tem primeiramente em conta o peso e altura de uma pessoa.

Pessoas que se enquadram em categorias de IMC elevadas, têm um risco mais elevado de doenças relacionadas com a dieta, como a diabetes tipo 2 e a doença cardíaca.

Como é calculado

Em Portugal, a fórmula para o cálculo do IMC é a seguinte:

  • Massa em quilogramas (kg) / altura em metros (m) ao quadrado

Por exemplo, uma pessoa com 72Kg e 1,75m de altura, tem um IMC de:

72/(1,75x1,75) = 23,5

Categorias de IMC

A maioria das pessoas enquadra-se nestas três categorias de IMC:

  • peso saudável
  • excesso de peso
  • obesidade 

Contudo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estão definidas oito categorias:

Baixo peso muito severo<15
Baixo peso severo15-16
Baixo peso16-18.5
Peso saudável18.5-25
Excesso de peso25-30
Obesidade30-35
Obesidade classe 235-40
Obesidade classe 340>

Estas categorias são por vezes interpretadas de forma diferente fora da Europa. Até 1998, nos Estados Unidos, o limite superior para um peso saudável era de 27,8, tendo este sido reduzido segundo as diretivas da OMS para 25. 

No Japão, por exemplo, não existe categoria de excesso de peso, sendo um IMC acima de 25 considerado obesidade.

O que significam estas categorias?

Pessoas acima de um peso saudável são consideradas com risco de doenças relacionadas com a dieta e pessoas obesas com um risco elevado para as mesmas.

Exemplos de doenças relacionadas com a dieta incluem:

  • Diabetes tipos 2
  • Hipertensão arterial
  • Doença cardíaca
  • AVC

Pessoas com ascendência africana ou asiática podem ter um risco mais elevado de diabetes tipo 2 e de outras condições, mesmo com um IMC mais baixo.

Dentro destes grupos, pessoas que: 

  • Têm um IMC de 23 ou superior são consideradas ter um risco elevado
  • Têm um IMC de 27,5 ou mais são consideradas como estando num risco elevado

Uma pessoa que tem baixo peso também pode estar em risco para certas doenças. As pessoas que não comem o suficiente podem não conseguir um aporte de nutrientes suficiente segundo as suas necessidades e ter um sistema imunitário mais débil, o que aumenta a sua suscetibilidade à infeção.

Por vezes, a causa da obesidade é uma condição médica não diagnosticada.

O que pode fazer?

Pessoas com excesso de peso ou obesidade podem ter um IMC saudável com uma combinação de dieta e exercício físico. O seu médico pode ajudar a criar um plano de exercício físico e uma dieta saudável para perder peso.

Contudo, nos casos em que o excesso de peso coloca em risco a saúde, a dieta e o exercício só por si podem não ser suficientes para atingir os resultados desejados. Para além da dieta e exercício, pode ser aconselhado um medicamento para perder peso

Os medicamentos para perder peso não são geralmente prescritos a pessoas com um IMC igual ou inferior a 27.

Quais as desvantagens?

O Índice de Massa Corporal tem uma fórmula fácil de aplicar, porém, este nem sempre é um indicador fiável relativamente ao rácio peso altura de uma pessoa. Por exemplo, este mede o peso, mas não faz diferença entre massa muscular e gordura. O músculo pesa mais que a gordura, pelo que pessoas com uma percentagem de massa muscular elevada e com baixo teor de gordura corporal, como os atletas profissionais, podem enquadrar-se nas categorias de excesso de peso ou mesmo obesidade erradamente.

Outra desvantagem da fórmula do IMC é o facto de não ter em conta a idade, o que é particularmente relevante para pessoas mais velhas. A massa muscular diminui com a idade e esta fórmula não detecta se esta perda está a ser compensada com gordura. Consequentemente, uma pessoa mais velha pode ter um IMC num peso saudável, mas a sua percentagem de massa gorda ser elevada.

Página revista em:  24/10/2017