A culpa do excesso de peso é normalmente colocada no aporte de calorias excessivo em relação à quantidade que é eliminada. Isto resulta geralmente da combinação de uma ingestão alimentar pouco saudável e falta de exercício físico. Apenas podemos atingir um peso saudável com uma dieta equilibrada e um estilo de vida ativo.

Contudo, nalguns casos, o aumento de peso pode ser atribuído a condições já existentes ou aos medicamentos tomados para as tratar. 

Aqui iremos abordar as condições para as quais o aumento de peso é um sintoma comum e como estas devem ser tratadas.

Hipotiroidismo

O hipotiroidismo, também conhecido como deficiência de hormonas tiroideas é uma condição causada por níveis baixos das hormonas produzidas pela glândula tiroide, usadas no controlo do metabolismo do corpo. Esta condição é mais comum nas mulheres do que nos homens, os sintomas podem levar anos a desenvolverem-se e podem ser associados ao aumento de peso nalgumas pessoas. 

Esta condição não deve ser confundida com o hipertiroidismo, que é causado por uma produção excessiva de hormonas pela glândula tiroide.

A glândula tiroide tem forma de borboleta, não contém ductos e situa-se imediatamente abaixo da maça de Adão na garganta. A tiroide liberta a hormona tiroxina (alternativamente conhecida como T4), cuja uma grande parte da quantidade é transformada em tri-iodotironina (T3), pelos órgãos do corpo, como os rins e o fígado. 

Estas hormonas controlam o metabolismo do corpo, que de caracteriza pelas reações químicas que transformam as moléculas dos alimentos em energia. Este processo essencial permite o crescimento muscular e desenvolvimento, mantém as funções do corpo e órgãos a trabalhar corretamente e ajuda a reparar o corpo quando ocorrem lesões.

O hipotiroidismo ocorre quando a glândula tiroide não produz tiroxina suficiente para controlar o metabolismo adequadamente, levando a que o corpo tenha falta desta hormona.

Este processo pode ocorrer após vários anos, pelo que pode não notar sintomas inicialmente, mas sentir um agravamento ao longo do tempo.

Os sintomas são ligeiramente diferentes de pessoa para pessoa, mas normalmente incluem:

  • Aumento de peso
  • Fadiga
  • Aumento da sensibilidade ao frio
  • Depressão
  • Obstipação
  • Alterações do ciclo menstrual
  • Sentir-se menos alerta
  • Cabelo e pele secos
  • Dores articulares e musculares 

Se a condição for deixada por tratar, pode levar a problemas como a doença cardíaca, infertilidade, problemas mentais e danos nervosos

A diminuição da produção hormonal é geralmente atribuída a danos na glândula tiroide. Em muitos casos, esta é atacada pelo sistema imunitário do corpo através da tiroidite autoimune, a forma mais comum é conhecida como doença de Hashimoto. Esta pode causar inchaço na glândula, levando ao aparecimento de uma tumefação na garganta conhecida como bócio. Se deixado por tratar, o bócio pode aumentar o seu tamanho, tornar-se visível e tornar a respiração e o ato de engolir mais difíceis. 

O hipotiroidismo pode também ser causado por tratamentos ou por uma cirurgia para a tiroide hiperativa (hipertiroidismo) ou cancro da tiroide. Os medicamentos, mais frequentemente o lítio, mas também o interferão e a amiodarona podem levar ao desenvolvimento da condição.

Algumas infeções virais podem causar lesões a curto prazo na glândula tiroide e cerca de 1 em cada 3500 a 4000 bebés, nascem com hipotiroidismo congénito segundo a British Thyroid Foundation. 

Será mais suscetível à condição se alguém da sua família tem hipotiroidismo ou historial de doenças autoimunes.

Se pensa que tem uma tiroide hipoativa, deve consultar o seu médico, que lhe poderá prescrever análises ao sangue para verificar os seus níveis hormonais. Se for diagnosticado com hipotiroidismo, ser-lhe-á prescrito tratamento de substituição hormonal, que se apresenta normalmente em comprimidos de levotiroxina. É provável que tenha de tomar este medicamento para o resto da sua vida.

Estes comprimidos suplementam os níveis de tiroxina e atuam ao controlar o metabolismo do corpo. Pode levar algum tempo até que o seu médico conclua qual a dose ideal para si e pode levar alguns meses a notar melhorias. Será necessário também que faça análises ao sangue regulares para testar os seus níveis hormonais.

O aumento de peso é um efeito secundário conhecido do hipotiroidismo. Contudo, o aumento de peso causado pela condição é relativamente modesto, cerca de 2,5 a 5Kg, raramente ultrapassando os 10Kg que são essencialmente sais e gordura.

Após um tratamento bem sucedido, o paciente pode em média perder cerca de 10% do seu peso corporal, mas de acordo com a American Thyroid Association, a quantidade perdida pode ser insignificante se a condição se tiver desenvolvido já há muito tempo. 

Se ganhou peso, mas não apresenta outros sintomas de hipotiroidismo é pouco provável que sofra desta condição. De forma semelhante, se está a ser tratado com sucesso para o hipotiroidismo, mas continua com excesso de peso, está é provável de ser causada por outros fatores, uma vez que conseguirá ganhar e perder peso da mesma forma que alguém sem a condição.

SOP

O SOP, síndrome dos ovários poliquísticos pensa-se afetar uma em cada cinco mulheres em Portugal. Muitas não apresentam quaisquer sintomas, mas no caso de apresentarem, estes tendem a manifestar-se durante a adolescência e na idade adulta jovem.

Pensa-se que a condição esteja relacionada com a resistência à hormona insulina e a níveis inadequados de androgénios (hormonas sexuais masculinas que também estão presentes nas mulheres).O SOP ocorre quando o desenvolvimento de óvulos nos ovários é prejudicado por níveis elevados de testosterona. Os folículos onde os óvulos são produzidos não são então capazes de os libertar durante a ovulação.

Isto causa períodos irregulares e problemas de fertilidades e outros sintomas como o excesso de pelos corporais, queda de cabelo e acne.

Níveis elevados de insulina presentes no corpo podem dificultar a conversão da glucose em energia, levando ao aumento de peso. Isto pode tornar-se um ciclo vicioso, uma vez que o peso extra encoraja o corpo a produzir ainda mais insulina. 

Os androgénios presentes nas mulheres podem também levar a que o peso extra se acumule à volta da cintura, que aumenta o risco de problemas como a doença cardíaca e a diabetes tipo 2

Não existe cura para o SOP, porém, este pode ser controlado com alterações ao estilo de vida, medicamentos ou uma combinação de ambos. Perder peso com exercício e ajustes à sua dieta podem melhorar a sua condição, com uma diminuição que pode ir até aos 5% do seu peso corporal.

Também lhe podem ser prescritos estatinas ou medicamentos para emagrecer e o uso de tratamentos de fertilidade pode ajudar a maioria das mulheres com SOP a ter filhos.

Depressão e ansiedade

Uma em cada quatro pessoas é afetada por problemas mentais todos os anos. Apesar de muitas pessoas que sofrem de depressão e ansiedade perderem peso, os sintomas podem levar a que outras aumentem. Ambas podem ter implicações graves de saúde.

A alteração dos padrões de sono, falta de energia ou motivação e sensação de impotência podem fazer com que as pessoas afetadas a evitem as atividades físicas e ao ar livre e a procurem conforto em alimentos gordurosos e doces. Quando aumenta de peso, é normal perder autoestima e ter-se em má conta, criando um ciclo de dieta desequilibrada e aumento de peso

Existem várias medidas que pode tomar para melhorar o se bem-estar mental. Para além de consultar um médico acerca da sua medicação, a terapia, o mindfulness e os exercícios também podem ajudar. Passar tempo com os amigos e a família, experimentar um novo hobby ou encontrar-se com um grupo de pessoas que partilha os mesmos interesses pode também ser extremamente útill.

Retenção de líquidos

Em termos médicos conhecido como edema, esta acumulação de fluido por baixo da superfície da pele entre áreas de tecido ou num órgão é extremamente comum, especialmente nos pés e nas pernas. Apesar de nalguns casos poder ser um sintoma de curta duração, por passar demasiado tempo em pé, este pode significar uma condição mais grave. 

O aumento de peso é apenas um dos sintomas do edema, com inchaço dos músculos, articulações e membros e alterações na coloração da pele, entre outros. Esta condição deixa uma marca na pele após aplicar pressão na área afetada.

O edema pode ser um sintoma da gravidez, ou uma doença dos órgãos internos, como a doença cardíaca, hepática ou renal. É também um efeito secundário dos contracetivos orais, corticosteroides e medicamentos para a hipertensão arterial.

Os sintomas da retenção de líquidos desaparecem normalmente por si, porém, se persistirem, deve consultar o seu médico para despistar outras condições de saúde. Pode ser-lhe prescrita medicação e sugeridas alterações ao estilo de vida como alterações na dieta ou exercício físico.

Síndrome de Cushing

Esta é uma condição rara causada por um aumento da hormona cortisol. Esta é geralmente causada por uma exposição prolongada a medicamentos corticosteroides, mas também pode ocorrer como consequência de um tumor na hipófise, podendo classificar-se como síndrome de Cushing endógeno ou doença de Cushing.

O aumento de peso associado ao síndrome de Cushing afeta a face, bem como a secção média do corpo. A gordura também é armazenada na área entre os ombros e a parte de trás do pescoço, criando um alto visível. As pessoas com a condição podem desenvolver pele frágil, que leva a que se firam com facilidade, pele descolorada ou com estrias. Podem também sofrer de hipertensão arterial, ossos frágeis, problemas de fertilidade e depressão.

Determinar se sofre ou não de síndrome de Cushing pode ser um processo longo, uma vez que os sintomas podem aparecer gradualmente e podem ser semelhantes aos associados ao hipotiroidismo ou à hipertensão. Se for diagnosticado com a condição, o seu médico irá ajustar a dose de corticosteróides ou prescrever um medicamento que iniba os efeitos do cortisol.

Se for diagnosticado com síndrome de Cushing endógeno, poderá ter de realizar uma cirurgia para remover o tumor da hipófise.

Falar com o seu médico

Se o seu peso é uma preocupação, deve marcar uma consulta com o seu médico. Este poderá esclarecer como o seu peso pode ser influenciado por outras condições e a forma como estas o afetam.

O seu médico não só lhe poderá prescrever medicação se necessário, como poderá recomendar alterações ao estilo de vida que possam melhorar a sua saúde em geral e ajudar a perder o peso necessário.

Página revista em:  24/10/2017