As doenças sexualmente transmissíveis podem ser transmitidas de pessoa para pessoa a partir de vários comportamentos sexuais. De forma a reduzir as hipóteses de infeção, deve sempre praticar sexo seguro

Abaixo vamos discutir os métodos mais eficazes de prevenir a transmissão das DST.

Sexo não penetrativo

A abstinência é o método mais eficaz de prevenir as DST. A masturbação, a masturbação mútua, o toque e os beijos têm um risco muito mais baixo de transmitir DST do que as relações sexuais. As secreções vaginais e pelo pénis não devem entrar em contacto bom a boca, o ânus, o pénis ou a vagina. 

Contudo, é importante ter em conta que o herpes pode ser transmitido pelo beijo se o vírus do HSV estiver presente na boca. Pode ser notado se estiverem visíveis vesículas, porém nem todas as pessoas apresentam sinais óbvios. A maioria dos casos de herpes genital é causado pelo vírus do HSV-1, enquanto o herpes genital é mais frequentemente causado pela estirpe HSV-2. Contudo isto não é verdade para todos os casos. O HSV pode ser transmitido da boca para os genitais e vice-versa, pelo sexo oral. Em baixo pode saber mais sobre como praticar sexo oral seguro.

Proteção

O sexo vaginal pode ser apreciado em segurança recorrendo a diferentes tipos de proteção. As mulheres podem usar preservativos femininos que têm uma taxa de eficácia de 95% na proteção contra as DST e gravidez, se usados corretamente. Antes do sexo, o anel flexível do preservativo feminino é inserido na vagina usando os dedos, para que o saco de látex preencha a área. 

Os preservativos de látex masculinos são outro tipo de proteção de barreira que limita o risco de gravidez e de transmissão de doenças como a clamídia, a gonorreia e o HSV-2. O preservativo é colocado na ponta do pénis e desenrolado até à base do pénis garantindo que não está presente ar no seu interior. Os preservativos que não são de látex também estão disponíveis, porém não fornecem o mesmo nível de proteção. 

A remoção tanto do preservativo feminino como do preservativo masculino deve ser feita com cuidado, de forma a não derramar esperma. Os preservativos devem ser descartados imediatamente e não devem ser reutilizados uma vez que isto reduz a sua integridade e aumenta o risco de disseminação das DST. É aconselhado praticar a colocação do preservativo antes de iniciar a atividade sexual. Deve ser tido em conta que as DST podem ser transmitidas a qualquer momento do ato sexual e não apenas na ejaculação. 

O sexo oral inclui qualquer ato onde a boca e a língua entrem em contacto com os genitais ou com o ânus. 

Deve ser usada proteção para prevenir a transmissão de DST durante o sexo oral, independentemente da parte do corpo. Um preservativo masculino pode ser usado para cobrir o pénis e um dique de borracha ou lençol de borracha para cobrir os genitais femininos ou o ânus masculino. 

O sexo anal inclui a penetração no ânus utilizando o pénis, dedos ou brinquedos sexuais, tendo um risco elevado de transmissão de DST. Isto deve-se ao revestimento do ânus ser fino e por isso mais propenso a infeções. Devem ser utilizados preservativos para impedir que sejam transmitidas DST durante o sexo anal. 

Os brinquedos sexuais podem ser utilizados para aumentar o prazer sexual, contudo, deve ter em conta que estes também podem transmitir DST entre utilizadores. O vírus da hepatite, em particular, pode viver fora do corpo durante várias semanas, pelo que os brinquedos sexuais devem ser limpos após cada utilização, especialmente se foram partilhados. Se um brinquedo for partilhado durante o sexo, um novo preservativo deve ser colocado antes de mudar de utilizador.

Testes frequentes às DST

Para garantir que não contribui para a disseminação de DST é importante saber se foi infetado para poder procurar tratamento o mais cedo possível. É por isso importante que faça testes frequentes às DST. Isto é particularmente importante se tiver feito sexo desprotegido ou tiver um novo parceiro ou parceira. Os testes às DST podem ser realizados recorrendo a kits de testes caseiros para as DST ou com recurso a uma consulta de planeamento familiar ou com o seu médico.

Vacinas

Infelizmente não existem vacinas disponíveis contra todas as DST possíveis. Contudo, pessoas com risco de contrair hepatite A e B podem falar com o seu profissional médico para saber se estão indicadas para vacinação.

Prevenção

Se pensa em ter relações sexuais, deve pensar no método de proteção que vai utilizar. Deve também considerar falar com o seu potencial parceiro ou parceira sexual para saber se se submeteu recentemente a um teste de DST.

Parceiros sexuais

Pessoas que frequentemente mudam ou têm um número elevado de parceiros sexuais, têm um risco mais elevado de contrair um DST. Se optar por estar com um parceiro monógamo que foi testado negativamente a DST, obviamente irá reduzir o seu risco de contrair uma infeção. 

Adaptar práticas seguras irá ajudar a prevenir a transmissão de DST. Existem várias opções disponíveis para que todas as práticas sexuais possam ser apreciadas da forma mais segura possível.

Página revista em:  26/10/2017