Deixar as infeções sexualmente transmissíveis por tratar pode levar a várias complicações de saúde. Apesar de muitas DST não causarem sintomas, é importante fazer o teste e tratamento, se necessário. 

Aqui descrevemos as complicações mais comuns e o que significam para a sua saúde em geral a longo prazo.

Doença Inflamatória Pélvica (DIP)

A DIP é uma infeção comum contraída pelas mulheres e causada por uma bactéria que se desloca da vagina ou cérvix para o trato genital superior. As mulheres infetadas podem sofrer de dor no baixo abdómen, desconforto durante o sexo ou ao urinar, períodos abundantes, hemorragia entre períodos, corrimento pouco habitual, febre, náuseas ou vómitos. Esta doença pode ser causada pela clamídia não tratada ou por infeções de gonorreia. De acordo com estatísticas oficiais, 10-15% das mulheres com clamídia que não procuram tratamento, desenvolvem DIP, que também pode levar à infertilidade feminina.

Infertilidade

Não tratar as DST pode tornar tanto os homens como as mulheres inférteis. Um casal pode ser diagnosticado como infértil após o período de um ano a tentar conceber, sem sucesso. A infertilidade feminina causada pelas DST pode ocorrer devido a danos nas trompas de Falópio. A infertilidade masculina pode resultar de uma infeção nos testículos frequentemente atribuída à clamídia. Isto pode resultar numa redução no número de espermatozoides produzidos, tornando mais difícil a conceção. Estudos concluíram que os adolescentes e os adultos jovens sexualmente ativos entre os 15-24 anos são o grupo com maior risco de contrair DST, com metade dos novos casos diagnosticados presentes neste grupo etário. A curto prazo, este grupo etário em particular pode não ter noção do impacto que a infertilidade pode ter no seu futuro. Contudo, deve ser tido em conta que a infertilidade pode levar a problemas no relacionamento e a problemas de saúde mental.

Aborto e gravidez ectópica

Algumas DST podem causar danos permanentes no sistema reprodutivo das mulheres. Isto pode causar problemas ao conceber, tal como mencionado acima ou durante a gravidez. A DIP pode levar a cicatrizes, que tornam mais difícil aos óvulos fertilizados passar dos ovários para o útero. Isto pode aumentar o risco do ovo ficar preso na trompa de Falópio. Se o ovo se começar a desenvolver fora do útero, pode ocorrer uma gravidez ectópica, que pode levar a complicações de saúde que se podem revelar fatais. De acordo com um estudo do National Centre of Biotechnology Information (NCBI) cerca de 40% das gravidezes ectópicas podem ser atribuídas a fatores infecciosos, incluindo as DST. As bactérias responsáveis por infeções sexuais como a clamídia podem levar à morte do feto no útero. Uma infeção primária de herpes genital contraída durante a gravidez pode também causar aborto.

Orquite e epididimite

A orquite do epidídimo é uma condição de que muitos homens podem sofrer se não tiverem acesso a tratamento das DST. A epididimite refere-se a uma inflamação na parte dos testículos onde ocorre a produção de espermatozoides. Orquite é o nome dado ao inchaço dos testículos. Esta condição é frequentemente causada por DST como a clamídia e a gonorreia. Estas duas DST infetam a uretra, mas as bactérias podem também infetar os testículos se a infeção não for tratada. Tal como mencionado num relatório da British Association for Sexual Health and HIV (BASHH) alguns casos raros de orquite e epididimite podem levar a uma baixa contagem de espermatozoides, que pode reduzir a fertilidade.

Aumento do risco de HIV

Pessoas que não procuram tratamento para as DST podem aumentar o seu risco de ser infetadas com HIV se continuarem a ter sexo desprotegido. De acordo com a Palo Alto Medical Foundation (PAMF) as mulheres infetadas com clamídia têm uma probabilidade cinco vezes superior de contrair HIV se expostas. Por este motivo, o tratamento das DST é importante para prevenir e reduzir o risco de transmissão do HIV. O HIV causa danos graves no sistema imunitário do corpo e pode eventualmente danificá-lo por completo. Não existe cura para o HIV e os sintomas têm de ser controlados durante toda a vida.

Risco de contágio

Se deixar as DST por tratar e tiver sexo desprotegido, existe uma probabilidade elevada e disseminar a infeção ao seu parceiro sexual. As mulheres podem também passar a infeção aos seus bebés durante o parto, o que pode causar complicações.

Sífilis

A infeção de sífilis pode progredir para 3 fases se deixada por tratar. As fases um e dois podem causar sintomas desagradáveis, porém, a terceira fase pode ser muito perigosa e causar falência de órgãos, AVC, paralisia, cegueira, surdez, doença cardíaca e demência.

Como evitar as complicações das DST?

As possíveis complicações causadas por deixar uma DST por tratar são várias e em alguns casos, podem revelar-se perigosas para o estado de saúde geral da pessoa infetada. O tratamento das DST deve começar o mais cedo possível para reduzir o risco de infertilidade. É importante lembrar-se que muitas DST podem ser assintomáticas e ao início podem não causar qualquer sintoma. Apesar de poderem não estar presentes sintomas habituais de DST, existe a possibilidade de sofrer da infeção. Por este motivo é importante fazer o teste se teve contacto sexual desprotegido.

Página revista em:  26/10/2017