A clamídia é a doença de maior transmissão sexual no Reino Unido. No ano passado, esta traduziu-se em quase metade de todas as novas DST diagnosticadas em Inglaterra

Factos importantes

  • Em 2015, foram diagnosticados cerca de 200.000 casos apenas em Inglaterra.*
  • Isto representa uma diminuição relativamente a 2014 de cerca de 8.500 casos. Contudo, pensa-se que esta diminuição se deva a uma diminuição do número de testes e não a menos casos reais.
  • O número de diagnósticos da doença teve o seu pico no Reino Unido em 2011, com 236.595 casos.**
  • A doença é mais prevalente entre a faixa etária dos 20-24 anos.
  • É mais frequentemente diagnosticada em mulheres do que em homens.

Neste artigo iremos abordar estatísticas sobre a clamídia relativamente:

  1. Ao Reino Unido
  2. Europa e Estados Unidos
  3. Idade
  4. Género
  5. Orientação sexual

Clamídia no Reino Unido

Apesar do número de diagnósticos para a gonorreia e sífilis terem aumentado em Inglaterra entre 2014 e 2015, os diagnósticos de clamídia diminuíram de 208.638 para 200.288. 

A Saúde Pública de Inglaterra afirma que a diminuição de 99.785 diagnósticos para 93.036 em comunidades foi o fator mais significativo. Também foi notado que menos mulheres heterossexuais foram testadas e que isto pode ter levado a uma diminuição dos testes feitos aos seus parceiros.*

Em Inglaterra, a clamídia representou 46% de todas as novas DST diagnosticadas em 2015.*** 

Em todo o Reino Unido, o número de casos aumentou entre 2007 e 2011, onde atingiu o pico de 236.595 casos diagnosticados. Este número diminuiu para 235.992 em 2012.** 

A Associação de Planeamento Familiar do Reino Unido (FPA) reporta que em 2014 foram:

  • Diagnosticados 16.320 novos casos na Escócia
  • 5.452 no País de Gales
  • e 1.868 na Irlanda do Norte.***

Incluindo os 208.638 casos de Inglaterra, isto perfaz um total de 232.278 casos diagnosticados em 2014 no Reino Unido, representando uma diminuição. 

Contudo, a FPA também notou que esta diminuição se deveu a uma diminuição do número de testes realizados. Entre o grupo etário dos 15-24 anos, notou-se que em 2015 ocorreu uma diminuição de 9.500 diagnósticos em relação ao ano anterior, mas foram realizados menos 127.000 testes.

Clamídia na Europa e nos Estados Unidos

De acordo com os números do Centro de Prevenção e Controlo das Doenças Europeu, o Reino Unido tem apresentado os níveis mais elevados de casos de clamídia na Europa entre 2003 e 2012. 

Em 2012, foram relatados 385.683 casos no Espaço Económico Europeu. Com 235.992 casos no Reino a contabilizar 61% do número total de casos. Contudo, não foram contabilizados dados da Áustria, República Checa, Alemanha e Portugal. 

Contudo, apesar de o Reino Unido ter o número mais elevado de casos, não tem a maior prevalência de clamídia per capita. 

  • A Islândia têm o número mais elevado de diagnósticos de clamídia por 100.000 habitantes em 2013, com 677 casos.
  • A Dinamarca têm a segunda prevalência mais elevada (461,2 por 100.00) e a Noruega a terceira prevalência mais elevada (440,5 por 100.000). 
  • Em comparação, o Reino Unido tem 369,3 casos por 100.000. 

Mais uma vez, não estão incluídos os países mencionados acima. 

O CDC relata que nos Estados Unidos em 2015, havia apenas 1.5 milhões de casos de clamídia relatados, o que corresponde a 478,8 casos por 100.000 habitantes. Isto representou um aumento de 5,9% relativamente ao ano anterior. Contudo o CDC afirma que este aumento se pode dever à melhor cobertura de testes e relatórios.**** 

Globalmente, um estudo estimou que o número de casos femininos em 2012 foi de 68.5 milhões e o número de casos masculinos de 62.5 milhões.

Clamídia em diferentes grupos etários

No Reino Unido e na Europa, a clamídia é mais comum entre os jovens, particularmente na faixa etária dos 20-24 anos. 

A Saúde Pública de Inglaterra relatou que em 2015 mais de 129.000 ou 62% dos casos totais de clamídia incluíam-se no grupo dos 15-24 anos. 

Centro de Prevenção e Controlo das Doenças Europeu reporta que em 2013, no mesmo grupo etário, a prevalência de clamídia era de 66,2% dos diagnósticos no Espaço Económico Europeu, com 40,6% dos casos incluídos no grupo dos 20-24 anos.** 

De uma forma geral, o grupo dos 20-24 anos na maioria dos países Ocidentais tende a ser o mais sexualmente ativo e o mais provável de ter relações sexuais casuais ou com múltiplos parceiros. Esta é frequentemente citada como a razão por trás do elevado número de diagnósticos em pessoas mais jovens, apesar de a clamídia também estar presente noutros grupos mais velhos. 

Dos 383.793 casos europeus relatados em 2013, 93.713 (24,4%) eram de pessoas entre os 25 e 34 anos e 22.189 (5,8%) de pessoas entre os 35-44 anos.

Clamídia por género

As mulheres são mais frequentemente diagnosticadas com clamídia do que os homens no Reino Unido, em vários países Europeus e nos Estados Unidos. 

De acordo com a FPA***, as taxas de diagnóstico entre mulheres em 2015 eram:

  • 2.436,8 por 100.000 na faixa etária dos 15-19 anos
  • e 2.557 por 100.000 no grupo dos 20-24. 

Entre os homens, no mesmo ano, as taxas eram: 

  • 824,4 por 100.000 no grupo dos 15-19 anos.
  • e 1.693,8 por 100.000 no grupo dos 20-24 anos. 

Contudo, o último relatório da PHE demonstra que em 2015, uma percentagem mais elevada de testes masculinos à clamídia eram positivos, o que foi justificado por taxas de teste mais elevadas nas mulheres. 

Na Europa, as taxas de diagnóstico em 2013 entre as mulheres (de todas as idades) eram de 420,9 por 100.000, comparadas com 308,6 casos por cada 100.000 homens.

Clamídia por orientação sexual

A clamídia é mais comum em mulheres e homens heterossexuais. As estatísticas europeias de 2013 afirmam que: 

  • 91.289 dos casos foram diagnosticados em mulheres heterossexuais;
  • 72.729 dos casos foram diagnosticados em homens heterossexuais;
  • e 12.276 casos foram diagnosticados em homens homossexuais. 

A orientação sexual de 207.980 casos foi estabelecida como “desconhecida”. 

Em Inglaterra, em 2015, 21% (12.805) dos casos de clamídia masculinos reportados em clínicas de saúde sexual correspondiam a homens que tinham sexo com outros homens. Isto representa apenas 6% do número total de diagnósticos de clamídia.

Pode saber mais sobre a clamídia nas nossas páginas de informação abaixo.

Página revista em:  26/10/2017