O Viagra já melhorou a função erétil de milhões de homens.

Contudo, este não está necessariamente indicado para todos os homens e alguns podem preferir uma alternativa natural.

Porque é que alguns homens optam por remédios naturais para a disfunção erétil?

A procura por remédios naturais pode dever-se ao Viagra estar contraindicado devido a um problema de saúde (como um ataque cardíaco recente) ou devido a potenciais interações medicamentosas (devido por exemplo à toma de nitratos).

Alguns homens também procuram alternativas naturais ao tratamento com Viagra porque preferem usar medicamentos o menos possível.

Se pensa optar por uma alternativa natural ao Viagra, é importante ter em conta que os medicamentos sujeitos a receita médica são sujeitos a testes restritos de forma a obterem a sua permissão de venda. 

As alternativas naturais ou de venda livre nem sempre são sujeitas aos mesmos processos rigorosos, e por isso, a sua eficácia e segurança podem não ter sido corretamente avaliadas. 

Os homens com disfunção erétil devem discutir o seu plano de tratamento com o seu médico antes de optarem pelas seguintes opções.

  • Arginina

As ereções são conseguidas como resultado de um aumento do fluxo sanguíneo para ao pénis, causado pelo relaxamento das artérias. A arginina é um aminoácido encontrado em alimentos que pode ajudar a relaxar as artérias e a acelerar a circulação sanguínea.

Na maioria dos casos o corpo humano produz quantidades suficientes de arginina, pelo que os suplementos não são normalmente aconselhados

Um pequeno estudo que avaliou os efeitos da arginina na disfunção erétil concluiu que esta não é melhor que o placebo.

  • Acupunctura

Ao ser uma das práticas médicas mais antigas em todo o mundo, não é surpresa que muitos homens recorram à acupunctura para tratar os seus problemas de disfunção erétil.

Apesar da inserção de agulhas nalgumas partes do corpo não ser agradável para muita gente, muitos acreditam que pode aumentar o fluxo de energia.

Os estudos clínicos que avaliaram os efeitos da acupunctura não conseguiram comprovar a hipótese de que esta é benéfica para quem sofre de problemas de ereção. No que diz respeito à disfunção erétil, o British Acupuncture Council não foi capaz de fazer uma recomendação positiva.

  • Ginseng

O extrato natural de Ginseng Coreano Vermelho pode ser obtido por venda livre na forma de cápsulas, afirmando ter efeitos positivos a nível das ereções.

Também referido como Ginseng panax este contém uma quantidade elevada de ginsenosides, os quais se pensam ser a substância ativa.

Investigações sobre a eficácia do Ginseng forneceram resultados positivos, porém, são necessários mais estudos antes que uma correlação positiva possa ser estabelecida.

Esta substância pode interagir com medicamentos, pelo que deve discutir os seus benefícios com o seu médico antes de a adquirir.

  • Sumo de toranja

O sumo de toranja foi classificado como um super-alimento devido às suas propriedades antioxidantes. Mais recentemente, este provou ter efeitos a nível do desempenho erétil.

O óxido nítrico é usado pelo corpo para ajudar a relaxar o músculo liso do pénis e a produzir uma ereção.

Investigações prévias sobre o sumo de toranja sugerem que os seus elevados níveis de antioxidantes podem proteger os níveis de óxido nítrico, mantendo o stress oxidativo controlado. Níveis estáveis de óxido nítrico podem ajudar a conseguir e a manter uma ereção. 

Os resultados destas investigações iniciais podem ser promissores, porém não são classificados como estatisticamente significativos. O conhecimento atual por trás do sumo de toranja e a disfunção erétil não é suficiente, pelo que são necessários mais estudos nesta área.

  • Horny goat weed

No que diz respeito a alternativas naturais para a disfunção erétil, muitas pessoas consideram o epimedium, mais conhecido como horny goat weed.

O seu princípio ativo é a icarina e pensa-se ter uma ação semelhante aos medicamentos para a impotência conhecidos como inibidores da PDE5.

Apesar dos testes laboratoriais em não-humanos terem demonstrado resultados positivos a nível das ereções, a sua eficácia em humanos ainda não é conclusiva

  • Ginkgo biloba

Os extrato de ginkgo biloba pode apresentar-se em cápsulas ou na forma líquida. Esta substância natural pensa-se aumentar a atividade do óxido nítrico, aumentando o fluxo de sangue para o pénis, resultando consequentemente em melhores ereções.

Uma investigação sugeriu que o ginkgo biloba melhorou as ereções em homens que tomam certos medicamentos como os inibidores da recaptação de serotonina. Contudo, os estudos sobre a eficácia do ginkgo biloba têm sido inconclusivos.

  • Terapia

A nossa saúde mental pode ter um impacto no bem-estar geral e pode mesmo manifestar-se em condições físicas, como a impotência. A pressão social faz com que muitos homens se sintam relutantes a procurar ajuda para os seus problemas psicológicos.

Estima-se que cerca de 10-20% dos casos de disfunção erétil tenham causas psicológicas.

A ansiedade, o stress, as experiências sexuais passadas e a atitude psicológica face ao sexo podem levar a dificuldades em conseguir e manter uma ereção suficiente para a atividade sexual.

Pode ser benéfico quebrar qualquer barreira psicológica antes de começar o tratamento para a disfunção erétil. O seu médico pode sugerir aconselhamento, terapia cognitiva comportamental ou outro tipo de terapia. Algumas sessões podem incluir tanto o paciente como a parceira, uma vez que a disfunção erétil pode afetar o casal como um todo.

  • Estilo de vida

A forma mais natural de evitar a disfunção erétil é adotar um estilo de vida saudável.

  1. Siga uma dieta saudável e equilibrada
  2. Deixe de fumar
  3. Reduza o consumo de álcool
  4. Evite o consumo de drogas recreativas
  5. Faça exercício regular
  6. Durma o suficiente
  7. Evite o stress sempre que possível

Apesar do estilo de vida não garantir uma vida completamente livre de problemas de saúde, é certamente um passo na direção certa.

Seguir as medidas acima relativamente a um estilo de vida saudável, pode reduzir o seu risco de doença cardiovascular, tensão arterial elevada e obesidade, condições com efeitos na função erétil.

Página revista em:  23/10/2017