Recentemente, a consciência relativamente à disfunção erétil aumentou dramaticamente. Apesar de historicamente esta não ter sido inicialmente aceite como um problema médico, a disfunção erétil é agora conhecida por milhões de homens, que se encontram muito mais preparados para discutir este assunto. Isto deve-se em parte ao facto de esta ter sido reconhecida como um problema causado (embora não exclusivamente) por fatores físicos e poder ser tratada com medicamentos eficazes. 

Contudo, apesar de ter vindo a ganhar relevância na cultura atual, a disfunção erétil continua a ser uma condição frequentemente associada a homens mais velhos, tendo sido popularizada desta forma. Apesar de algumas exceções, a impotência é apresentada em filmes e em conteúdo publicitário relacionado com tratamentos para a disfunção erétil como o Viagra, como sendo uma condição associada a homens com mais de 40 anos.

Isto pode ter contribuído para a desvalorização desta condição em homens mais jovens. Apesar de desconsiderada, a impotência é uma condição que afeta frequentemente homens com menos de 40 anos. Ainda que garantidamente esta é mais comum em homens mais velhos, esta pode ocorrer a qualquer momento da vida sexual masculina.

Porque motivo a disfunção erétil é associada a homens mais velhos?

A taxa de incidência em homens acima dos 40 anos é mais elevada, o que pode explicar o facto desta ser associada a esta faixa etária. Estima-se que cerca de metade dos homens entre os 40 e os 70 anos irão sofrer de alguma forma de disfunção erétil.

Mas quais os fatores presentes na disfunção erétil que a tornam mais prevalente em homens mais velhos?

Para explicar isto, é importante compreender os processos que ocorrem no corpo que podem causar sintomas:

Uma ereção ocorre como resultado de uma sequência de reações químicas e moleculares. Quando um homem está sexualmente excitado, o cérebro recebe estímulos nervosos que desencadeiam respostas hormonais, aumentando a circulação sanguínea para o pénis, em particular para os corpos cavernosos. Assim que este se encontra preenchido com sangue, torna-se ereto. 

No caso da disfunção erétil, este fluxo sanguíneo pode ser comprometido. Pelo que apesar de o homem poder estar sexualmente estimulado, pode não conseguir uma ereção porque o sangue não chega ao pénis tão facilmente. Tratamentos como o Viagra e o Cialis atuam ao facilitar a dilatação dos vasos sanguíneos na base do pénis, para que o sangue possa entrar mais facilmente, produzindo uma ereção mais firme.

Nos homens mais velhos, a circulação sanguínea normal pode estar reduzida. Isto pode dever-se a vários fatores, como uma condição médica subjacente, como a diabetes ou a hipertensão arterial. A disfunção erétil não deve ser considerada como parte do processo natural de envelhecimento, contudo, o risco de outras condições que afetam a circulação sanguínea e podem causar impotência aumentam com a idade, motivo pelo qual esta é mais comum neste grupo. 

Contudo, a impotência em homens mais jovens ocorre mais frequentemente do que pensa. Um estudo desenvolvido pela Universidade Vita-Salute Raffaele em Milão examinou mais de 400 homens que sofriam de sintomas de disfunção erétil e que procuravam tratamento. Conclui-se que cerca de 1 em cada 4 destes homens tinham menos de 40 anos.

O que significa se sofrer sintomas numa idade jovem?

As causas da disfunção erétil em homens mais jovens não são necessariamente diferentes daquelas que afetam homens mais velhos. Porém, a prevalência de certas causas pode ser maior no grupo de 18-40 anos do que em homens com mais de 40 anos.

Por exemplo, problemas com a circulação sanguínea não são de forma nenhuma exclusivos a homens com mais de 40 anos. Tal como anteriormente mencionado, os problemas de circulação podem ser causados pela diabetes e pela hipertensão arterial, bem como por outras condições. Como resultado, a função erétil pode ser afetada.

Porém, vale a penas considerar que o abuso de drogas, álcool e tabaco são também potenciais causas do problema. Toxinas como estas podem inibir a circulação, porém, podem também interferir com a passagem de sinais entre os centros de prazer do cérebro e os vasos sanguíneos perto do pénis. De uma forma, os homens com menos de 40 anos que consomem álcool ou drogas têm uma probabilidade mais elevada que homens mais velhos que não o fazem. Para homens mais jovens a sofrer desta condição, controlar estas possíveis causas poderá ajudar a reduzir os sintomas.

Uma das principais áreas apontadas por especialistas na discussão de casos de disfunção erétil em homens jovens, são os fatores psicológicos. Estes podem manifestar-se como um aumento da pressão para um bom desempenho sexual, problemas no relacionamento ou falta experiência sexual. Outros casos de ansiedade também podem desempenhar um papel e contribuir para os sintomas. O stress no local de trabalho pode ter repercussões na vida sexual. Para alguns, um episódio de disfunção erétil pode ser suficiente para desencadear um problema persistente, podendo a impotência tornar-se frequente.

O tratamento para a disfunção erétil é diferente para homens mais jovens e homens mais velhos?

Não. A forma como a condição é tratada depende da causa dos sintomas. O mais importante a reter é que, independentemente da causa, está disponível ajuda. Qualquer que seja a sua idade, se pensa que a disfunção erétil está a afetar o seu relacionamento, é fundamental procurar medidas para tratar a condição.

Nos casos em que esta é causada por um fluxo sanguíneo reduzido em homens com mais de 40 anos, são frequentemente considerados medicamentos sujeitos a receita médica para o seu tratamento. Apesar destes serem publicitados para homens de meia-idade, podem também ser usados por homens mais jovens que também sofram de problemas de circulação. Estes atuam da mesma forma a reduzir os sintomas e são igualmente eficazes. De qualquer das formas, é importante falar com o seu médico para despistar quaisquer problemas de saúde que possam estar a causar os problemas de circulação.

Homens que sofrem de disfunção erétil relacionada com o stress ou ansiedade (jovens ou mais velhos), podem encontrar a solução para o seu problema ao discutir a condição com a sua parceira ou terapeuta. Reconhecer e racionalizar sobre o seu desempenho sexual pode tornar o problema mais fácil de lidar e reduzir a gravidade dos sintomas

Porém, homens que achem complexo seguir este caminho, podem optar por medicamentos para a disfunção erétil, desde que o seu perfil médico seja adequado. Aumentar o fluxo sanguíneo para o pénis pode frequentemente melhorar o desempenho sexual em homens que sofrem de disfunção erétil causada pelo stress. Nestes casos, o tratamento pode apenas ser necessário como uma solução a curto-prazo. Assim que a medicação tiver sido bem sucedida a restabelecer a confiança do utilizador, o tratamento pode deixar de ser necessário e os sintomas podem desaparecer.

Serei demasiado jovem para usar tratamento para a disfunção erétil?

Se tem mais de 18 anos, é sexualmente ativo e sofre de disfunção erétil de forma persistente, não deve ignorar este problema por ter menos de 40 anos. Falar com a sua parceira ou médico sobre a condição é o passo seguinte. Contrariamente à crença popular, não são só os homens mais velhos que compram medicamentos para a disfunção erétil.

Pode saber mais informação sobre tratamentos específicos nas nossas páginas de produto. 

Página revista em:  23/10/2017