Apesar de ser um dos medicamentos mais populares e amplamente utilizados para a disfunção erétil, o Cialis não está indicado para todos os homens.

Homens com determinadas doenças ou que tomem determinados medicamentos podem não estar indicados a tomar Cialis, uma vez que este pode agravar a sua condição ou afetar a função de outros tratamentos de prescrição.

Para homens que sofrem de disfunção erétil mas que não estão preparados para tomar medicamentos de prescrição, que alternativas existem? 

Vamos ver:

Remédios naturais

O aspecto mais importante a considerar relativamente aos remédios naturais é que no caso da disfunção erétil, e com respeito a outras condições, a eficácia e a segurança destes tratamentos não foi estudada rigorosamente.

É por isso importante, antes de seguir tratamento com remédios naturais, falar primeiro com o seu médico de forma a garantir que estes são seguros. Se estiver em causa a sua segurança, deverá seguir outras opções.

O ginseng coreano vermelho, também conhecido com ginseng panax, é um extrato natural que foi reconhecido pela imprensa como um tratamento natural para a disfunção erétil. Este está disponível para venda livre na fórmula de cápsulas. 

Contudo, em estudos clínicos apenas produziu resultados moderadamente favoráveis em comparação com o placebo. Uma meta-análise determinou que são necessárias mais investigações para identificar se o ginseng coreano vermelho produz benefícios significativos a nível erétil.

A horny goat weed, o nome dado ao epimedium, é outra alternativa natural indicada por alguns para o tratamento da disfunção erétil. A icarina, o princípio ativo do epimedium, pensa-se ter efeitos inibidores na PDE-5 tal como tadalafil no Cialis, que aumenta a atividade do óxido nítrico no corpo, ajudando a aumentar a circulação de sangue para o pénis. 

Contudo, mais uma vez, os estudos são poucos, a icarina demonstrou resultados benéficos no aumento da função erétil em ratos diabéticos, inibindo com sucesso a PDE-5 em condições laboratoriais, porém, não é claro se esta é eficaz ou não a tratar a impotência em humanos. 

O ginkgo biloba é um extracto de árvore comercializado na forma de cápsulas, também disponível em líquido que pode ser misturado com água. Tal como os tratamentos acima, pensa-se que este facilita a circulação sanguínea ao aumentar a atividade do óxido nítrico.

Este foi testado em indivíduos com disfunção sexual geral induzida por medicamentos ISRS, porém, a investigação relativamente à disfunção erétil é particularmente insuficiente.

Suplementos hormonais

A função sexual masculina depende da produção de testosterona e pode ficar comprometida em indivíduos com baixos valores desta hormona.

A dehidroepiandrosterona, também conhecida como DHEA, é um tipo de terapia de substituição de testosterona, tendo apresentado resultados relativamente à libido e potência erétil.

Contudo, o efeitos a longo prazo deste tratamento não foram completamente avaliados, pelo que, consequentemente, este tratamento tem sido desencorajado para a disfunção erétil.

Acupunctura

Esta prática ancestral chinesa que consiste em inserir agulhas em pontos do corpo, tem sido uma terapia associada ao bem-estar físico e emocional, incluindo o tratamento da disfunção erétil.

Os estudos clínicos sobre este tratamento são mais uma vez pouco evidentes. Um estudo concluiu que este tratamento era benéfico a tratar os pacientes com disfunção erétil de origem psicológica. Porém, nesta experiência, a acupunctura foi também acompanhada pela discussão sobre a condição e resultados, tendo sido equiparada à terapia psicológica.

Mais uma vez, este tipo de tratamentos não devem ser seguidos antes de consultar primeiro o seu médico.

Alterações ao estilo de vida

Fazer alterações ao estilo de vida é talvez a melhor opção que alguém com disfunção erétil pode seguir, quer esteja indicado ou não a tomar um medicamento sujeito a receita médica como o Cialis.

Controlar as causas que podem causar sintomas será a primeira recomendação do médico, uma vez que a impotência pode por vezes ser um indicador inicial de um problema de saúde subjacente.

A circulação vascular para o pénis pode ser inibida por condições como a hipertensão arterial, a diabetes e a obesidade. Tendo isto em conta, é importante que os homens que sofrem sintomas garantam que fazem exercício suficiente e se alimentam corretamente. 

Fumar, beber álcool em excesso e consumir drogas podem causar frequentemente disfunção erétil. Manter o consumo de álcool dentro dos limites recomendados pode reduzir a probabilidade de sofrer de problemas de circulação sanguínea, tal como deixar de fumar (se for o caso) e evitar o abuso de drogas.

Pode saber mais sobre se o Cialis está indicado para si ao consultar a nossa página de produto.

Página revista em:  23/11/2017