A contraceção pode ser um assunto complexo. Por vezes, os métodos de barreira podem falhar ou não atuar corretamente e podem ser necessárias precauções adicionais. Muitos casais que usam contraceção regular, podem, num momento que lhes seja conveniente, parar a contraceção e tentar conceber um bebé. Por vezes, uma mulher que teve um bebé pode querer começar a pílula contracetiva novamente.

Tendo isto em conta, tentamos neste artigo fornecer respostas às perguntas mais frequentes sobre a gravidez e a contraceção:

Posso engravidar enquanto tomar a pílula contracetiva?

Sim, existe uma pequena hipótese de engravidar quando toma a pílula contracetiva, mesmo que o faça corretamente. É um método eficaz de contraceção para a maioria das mulheres, porém, estudos concluíram que aproximadamente uma mulher em cada 100 irá engravidar quanto tomar a pílula contracetiva ou a minipílula (apenas com progesterona).

Os testes de gravidez funcionam se tomar a pílula?

Sim. Se está a tomar a pílula e pensa que pode estar grávida, deve fazer um teste de gravidez para confirmar isto.

A pílula contracetiva atua ao alterar o equilíbrio das hormonas femininas, levando o corpo a pensar que já foi libertado um óvulo para a trompa de Falópio. As hormonas usadas (estrogénio e progesterona) não são as mesmas que aquelas que indicam a presença de uma gravidez quando é usado um teste.

Os testes de gravidez caseiros detetam a gravidez pela presença de uma hormona conhecida como gonadotrofina coriónica humana (HCG) na urina. Esta hormona geralmente está presente na urina 13 a 16 dias após a ovulação ocorrer.

Quando devo parar de tomar a pílula se quiser engravidar?

Normalmente, um mês antes de começar a tentar engravidar.

Se deixar de tomar a pílula, existe o risco de engravidar imediatamente. Contudo, pode levar algum tempo até que o ciclo menstrual natural volte ao normal. Um médico pode sugerir que espere até ter um período normal antes de começar as tentativas para engravidar.

Existem outros motivos que podem levar a que pare a pílula?

Se é fumadora e tiver mais de 35 anos, deve consultar o seu médico sobre outros tipos de contraceção, uma vez que pode deixar de ser seguro para si continuar a tomar a pílula. Da mesma forma, se desenvolver trombose, doença cardíaca, AVC, lúpus eritematoso sistémico, cancro da mama, doença do fígado ou da vesícula biliar, dores de cabeça, diabetes ou se ficar parada durante longos períodos de tempo, pode ter que parar a toma da pílula. 

Não deve parar a pílula para fazer uma pausa hormonal ao seu corpo, uma vez que estas hormonas não se acumulam ao longo do tempo. Isto significa que se não é fumadora e for saudável, pode continuar a tomar a pílula até ter 50 anos.

A pílula pode causar um aborto se estiver grávida?

A pílula contracetiva não é um método abortivo e não existe evidência que a sua toma durante o início da gravidez possa prejudicar o feto. Contudo, se suspeitar que engravidou ao tomar a pílula, deve contactar o seu médico para aconselhamento. Este pode aconselhar que pare a toma da pílula até à consulta presencial.

É necessária contraceção após o parto?

Sim, após o parto, muitas mulheres têm sexo assim que se sentem confortáveis, pelo que é possível engravidar três semanas (21 dias) após ter um bebé. Tendo isto em conta, deve decidir o tipo de contraceção que quer usar. 

Mulheres que não estão a amamentar podem escolher entre vários métodos contracetivos, desde métodos de barreira, como os preservativos a métodos hormonais como a pílula, o anel vaginal e o implante. O número de semanas que deverá aguardar até usar um certo tipo de contraceção pode variar, pelo que deverá consultar o seu médico sobre esta decisão.

Que contracetivos posso usar na amamentação?

Se optou por amamentar o seu bebé, podem-lhe ser desaconselhados certos tipos de contracetivos, como as pílula contracetiva combinada, o anel vaginal e o implante. Isto deve-se às hormonas nestes medicamentos poderem passar para o leite materno. 

Contudo, existem opções alternativas disponíveis para mulheres a amamentar, como a minipílula, o diafragma, a injeção, o DIU, o SIU e claro, os preservativos. Os preservativos e a minipílula podem ser usados imediatamente após o parto, enquanto a injeção, o diafragma, o DIU e o SIU, podem ser usados cerca de seis semanas depois.

Página revista em:  25/10/2017