Um recente estudo publicado na Science aponta para a relação entre a duração da temporada da gripe e o tamanho das cidades. 

A imprevisibilidade do vírus da gripe faz dele um aspeto da saúde pública que é difícil de entender e, conseqüentemente, de controlar.

A cada ano, os aspetos do vírus mudam, por exemplo:

  • quando a temporada de gripe começa;
  • o seu alcance dentro da população em geral;
  • sua duração.

No entanto, os resultados de um estudo recente sugerem que o tamanho da cidade onde mora pode ter um impacto na duração da temporada de gripe que terá de suportar.

O que o estudo investigou?

O estudo, publicado na revista Science, analisou o número de casos de doenças semelhantes à gripe com dados de alegações médicas entre 2002-2008.

Descobriu-se que cidades menores experimentam picos mais curtos, porém, mais intensos de casos de gripe. Cidades maiores e mais densamente povoadas demonstraram ter temporadas de gripe que se espalharam por um longo tempo.

Quais foram os resultados da investigação?

Se mora num local altamente populoso, as condições climáticas têm um impacto menor sobre a potencial disseminação do vírus. Isto ocorre porque o vírus não precisa depender da baixa humidade para sobreviver em gotas de humidade no ar, antes de infetar um novo hospedeiro.

O investigador principal, Benjamin Dalziel, explica: "Se há muitas pessoas e padrões de transporte que os reúnem frequentemente, isto ajuda o vírus a encontrar novos hospedeiros, mesmo quando as condições climáticas não são as mais favoráveis".

Isto significa que as grandes cidades oferecem condições que permitem que o vírus continue a se espalhar mesmo quando o clima não é o ideal. Um grande número de passageiros colocados em estreita proximidade uns com os outros regularmente, oferece ampla oportunidade para o vírus se espalhar.

O que isto significa para a cidade em que vivo?

Obviamente, os resultados deste estudo em particular não pretende fazer com que as pessoas mudem-se da cidade, mas espera-se que as descobertas possam levar as autoridades de saúde pública a preparar-se melhor para a temporada da gripe.

As grandes cidades podem precisar reavaliar as precauções que têm para evitar que o vírus da gripe se espalhe, enquanto cidades menores podem precisar reavaliar o quão bem elas estão preparadas para picos intensos em casos de gripe.

A vigilância dos padrões de gripe nas grandes cidades poderia ser usada para ajudar a prever o alcance geral da população.

Como posso prevenir-me da gripe?

O estudo não vai tão longe para indicar a cidade com o "melhor" tamanho para minimizar a propagação da gripe. Idealmente, não importa onde mora, ainda deve tentar seguir uma boa higiene das mãos para evitar a propagação da infeção. O conselho de prevenção permanece o mesmo, independentemente de onde mora.

Uma das melhores formas de prevenir o vírus da gripe é com a vacinação contra a gripe, embora não seja 100% eficaz. O SNS oferece vacina da gripe para certos grupos em risco, incluindo:

  1. Pessoas com idade igual ou superior a 65 anos;
  2. Doentes crónicos e imunodeprimidos, com 6 ou mais meses de idade;
  3. Grávidas;
  4. Profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados;
  5. Pessoas nos contextos definidos neste anexo.

No entanto, se não se enquadra em uma dessas categorias, ainda pode comprar uma vacina contra a gripe em várias farmácias em todo o país. Se não tem certeza se é elegível para a vacina da gripe, entre em contato com o seu centro de saúde local.