O dia 14 de novembro foi o dia mundial da Diabetes e durante o mês de novembro, a consciência da Diabetes é um tema constante. Segundo a Organização Mundial da Saúde, aproximadamente 1 milhão de portugueses com mais de 30 anos sofrem de diabetes e o relatório da OCDE indica Portugal como o país com mais alta taxa de prevalência da doença.

Pode alguém com diabetes ser um atleta como o Cristiano Ronaldo?

Cristiano Ronaldo, o mais popular jogador de futebol de Portugal não é diabético, mas no Campeonato Mundial FIFA, na Rússia, teve um forte oponente com diabete tipo 1, num excelente jogo contra a Espanha. José Ignacio Fernández Iglesias (Nacho), do Real Madrid, revelou, em 2016, ser diabético. Ele fez um golo contra Portugal no jogo de 15 de junho de 2018. Neste vídeo abaixo, poderá assistir Cristiano Ronaldo e Nacho jogando juntos no último Mundial.

Ter diabetes não é um impedimento para ser um atleta ou praticar desporto. Inúmeros atletas com diabetes conquistaram prémios em olimpíadas e campeonatos mundiais. O Dr. Daniel Atkinson, diretor clínico da Treated.com, aponta para a importância de pessoas que praticam desporto e têm diabetes consumirem uma dieta balanceada sem açúcares refinados, mas hidratos de carbono suficientes para liberar energia lentamente (como cereais integrais) para ajudá-los a evitar a hipoglicemia, comum em que tem diabetes e pratica desporto.

Na nossa página, acerca da diabetes e a prática desportiva, falamos sobre as principais recomendações para o diabético que deseja praticar desporto.

Elaboramos, neste artigo, um guia para o futebolista diabético com informações sobre os principais problemas em dia de jogo e como solucioná-los.

O Futebol e a Diabetes

O futebol é um desporto competitivo que, dependendo da frequência e intensidade em que se joga, pode exigir um monitoramento moderado a intenso. Os futebolistas de ocasião não precisam de um controlo intenso, mas os regulares devem ter um plano detalhado para manter os níveis de açúcar no sangue estáveis.

A posição no campo também interfere na forma como a diabetes do jogador de futebol vai ser administrada. Um guarda-redes, por exemplo, não é tão ativo no campo quanto um meio-campista, que exigirá um maior cuidado com o controlo da diabetes.

Outras sugestões para antes, durante e após o jogo de futebol

A sua rotina antes durante e depois do jogo de futebol deve estar muito bem organizada e deve seguir exatamente a orientação do seu médico, que terá acesso aos seu historial de saúde e pode fazer recomendações específicas para si.

Geralmente, é indicado jogar futebol ao menos duas a três horas após a última dose de insulina, para evitar o risco de hipoglicemia. Pode igualmente reduzir a dosagem da insulina antes do jogo, por exemplo, na manhã quando o jogo é à tarde, ou na noite anterior.

Caso seu posicionamento no campo de futebol seja extremamente ativo, pode ser indicado uma redução da insulina antes do jogo e uma refeição duas ou três horas após o jogo.

Se o seu açúcar no sangue cair durante o jogo, deve-se consumir glicose, ou seja, lanchar.

Testar a glicose no sangue antes, durante e depois irá garantir que está a seguir as recomendações ideais para si de acordo com a sua prática desportiva. Diferentes práticas desportivas exigem diferentes cuidados, como já falamos na Treated.com.

É possível que, inicialmente, leve algum tempo para acertar o equilíbrio ideal para uma poder jogar como deseja. Tenha paciência e preste atenção àquilo que o seu corpo está a dizer, para que chegue a um resultado mais rápido. É preciso estar atento que, alguns jogos envolverão mais ou menos atividades que outros. O diabético deve estar muito mais atento ao seu corpo do que um futebolista sem diabetes.