Metade da população mundial menstrua. Mesmo assim, os problemas de saúde relacionados aos períodos apenas começaram a ser discutidos abertamente recentemente.

Uma condição que está a ganhar mais consciência, em parte devido a algumas celebridades falarem abertamente sobre a doença, é a endometriose.

A fim de nos ajudar a lançar mais luz sobre esta condição ginecológica comum, entramos em contato com a equipa da Endometriosis UK.

O que é a endometriose?

A endometriose é uma condição em que as células que compõem o revestimento do útero (endométrio) crescem em outras áreas além do útero. Muitas vezes, as células são encontradas nas trompas de falópio ou nos ovários, mas podem ser encontradas em áreas não relacionadas ao sistema reprodutivo.

Os sintomas incluem:

  • Dor na região abdominal inferior ou nas costas
  • Dor ao urinar ou defecar (geralmente durante a menstruação)
  • Dor forte durante o período
  • Dificuldade em engravidar
  • Náusea, constipação ou diarreia durante a menstruação
  • Períodos pesados
  • Dor durante ou depois do sexo

As células endometriais reagem da mesma forma que as encontradas no útero. Estas acumulam-se e depois quebram-se ao final de um ciclo; no entanto, este sangue não tem para onde ir, muitas vezes levando a irritação e dor.

Estima-se que 1,5 milhão de mulheres estejam a viver com essa condição no Reino Unido. Em Portugal, estima-se que existam cerca de 700 mil casos de endometriose, de acordo com o Hospital da Luz. A condição pode afetar todas as etnias e idades e ainda pode levar vários anos para que o diagnóstico aconteça.

A Endometriose UK nos informou que: "A endometriose pode afetar qualquer pessoa em idade fértil, mas devido ao atraso no tempo do diagnóstico (a média é de 7,5 anos), é difícil obter uma estimativa precisa de quando a doença se desenvolve".

No entanto, muitas das pessoas que apoiamos relatam ter sintomas às vezes logo no primeiro período. Outras pensam que os sintomas se desenvolvem durante a adolescência, na idade adulta ou quando estão a tentar engravidar. Isto pode ser porque sempre foram informados de que os seus sintomas são normais ou os seus sintomas anteriores eram mínimos, ou inexistentes."

A Endometriose também pode ser confundida com a menorragia por causa de alguns sintomas semelhantes, como é o caso do excesso de sangramento.


Como os sintomas da endometriose podem afetar a vida quotidiana?

Os problemas físicos e mentais que muitas vezes vêm de mãos dadas com a endometriose podem ter um impacto profundo na qualidade da vida quotidiana.

Conforma a Endometriose UK: “A Endometriose pode afetar todas as áreas da vida de uma pessoa." Se os sintomas começarem cedo, a endometriose pode afetar a educação da menina, o que faz com que falte à escola ou dificulte a concentração nas aulas. Também pode desencadear intimidação, ansiedade social e isolamento se sangrarem através do uniforme da escola ou experimentarem sintomas na frente de outros alunos."

Os problemas causados ​​pela endometriose podem inibir significativamente a vida profissional de um adulto também.

Novamente, devido à natureza 'oculta' da endometriose, muitas vezes os colegas de trabalho não estão cientes da condição, e aquelas com endometriose podem não se sentir à vontade para revelar a condição. Isto resulta numa pessoa que sofre em silêncio no local de trabalho. As mulheres que sofrem de Endometriose, podem sofrer os sintomas da doença por muitos dias, ter a sua concentração afetada ou dificuldade em manter os seus níveis de energia altos. Pode, inclusive, até ter desafios físicos que afetam a sua capacidade de desempenhar todas as suas tarefas. Isto, obviamente, coloca em risco o seu desempenho e, consequentemente, o seu emprego."

A condição pode também ter um impacto na vida social e nos relacionamentos de uma pessoa.

"Muitas pessoas experimentam dor durante o sexo, o que pode causar dificuldades com os seus(suas) parceiros(as)."

"Também pode causar desafios com a sua família e os amigos. Como a endometriose é uma doença invisível, pode ser difícil para os entes queridos entenderem por que uma pessoa não pode realizar atividades sociais "normais" ou tem de cancelar os planos de repente."

Os sintomas físicos e muitas vezes dolorosos da endometriose podem ser difíceis de tratar. Isto pode causar algumas pessoas a experimentar problemas de saúde mental também.

Como a Endometriose UK explica: "Depressão e ansiedade podem surgir como resultado de viver com uma dor crónica, com fadiga e outros sintomas, e pode ser altamente stressante tentar administrar uma vida' normal 'com uma doença invisível, mas desafiadora."

O que é um período "normal"?

Diferentes mulheres terão experiências diferentes quando se trata dos seus períodos. Em geral, o ciclo menstrual dura entre 21 e 40 dias. O sangramento do período pode durar entre dois e sete dias. A maioria das mulheres perde entre três e cinco colheres de sopa de sangue durante um período. Algumas mulheres têm ciclos menstruais altamente regulares, que são do mesmo tamanho a cada mês, no entanto, algumas mulheres têm ciclos irregulares, onde cada mês é diferente.

A Endometriose UK nos explicou que: "Estas condições poderiam ser diagnosticadas muito mais cedo caso fosse encorajado um debate sobre o assunto numa idade mais precoce e, em que, as meninas tivessem desde cedo uma melhor ideia do que é um período 'saudável".

As condições reprodutivas podem ser tratadas e acompanhadas para que as mulheres possam continuar a viver vidas saudáveis ​​e ativas.

Barreiras no diagnóstico

Algumas condições de saúde são mais facilmente diagnosticadas do que outras. Como já mencionamos, leva aproximadamente 7,5 anos para receber um diagnóstico de endometriose. Então, quais são as maiores barreiras para identificar e obter ajuda para a condição?

"As três maiores barreiras são o estigma, a falta de consciência e a complexidade dos sintomas.

As pessoas são ensinadas desde cedo a manter-se caladas sobre os seus períodos, a menstruação é um assunto que não é abertamente discutido. Isto resulta em pessoas que não se manifestam sobre o assunto ou buscam ajuda quando têm sintomas, porque têm vergonha de discutir sobre isso.

"Outra barreira é a falta de consciência e até de discriminação. Infelizmente, ainda existem mitos tanto entre o público, quanto com profissionais médicos, em que as mulheres que sofrem desta condição não são levadas a sério. Mitos como: todos os períodos são dolorosos; ou que engravidar resolverá o problema e, infelizmente, muitos pensam que paciente está a exagerar os seus sintomas.

Neste sentido, é preciso um esforço para orientar os profissionais sobre os sintomas da endometriose.

Então, por que alguém com endometriose pode ser mal diagnosticado inicialmente?

"A endometriose apresenta-se em diferentes formas. Os sintomas variam de pessoa para pessoa e, frequentemente, os sintomas podem ser muito semelhantes a outras condições comuns, como a Síndrome do Cólon Irritável. Isto resulta em diagnósticos incorretos ou numa série muito longa de investigações."

Por que é importante que a endometriose seja incluída na educação sobre saúde nas escolas?

O ciclo reprodutivo feminino é de vital importância, no entanto, pesquisas recentes ainda mostram que a educação oferecida nas escolas sobre o assunto está longe de ser suficiente.

Como a Endometriosis UK nos explicou: “As crianças estão a começar a menstruar a partir dos sete anos, embora a maioria começa por volta dos nove aos 11 anos e muitas não tenham recebido nenhuma educação sobre o bem-estar menstrual. A pesquisa atual da Plan International UK nos mostra que 14% das meninas não sabem o que está a acontecer quando começam a menstruar e 1 em cada 4 não sabem o que fazer quando começam a ter o período." 

Não debater sobre a menstruação em idade precoce pode potencialmente causar sentimentos de vergonha que impedem as pessoas de procurar ajuda.

"Isto fortalece o tabu em torno dos períodos, perpetuando o silêncio e fazendo com que muitas sofrem em silêncio com sintomas que não são normais", disse-nos a Endometriose UK. "Muitas passam anos sem procurar ajuda porque não sabem o que é um período 'saudável', e o que é um sinal de que alguma outra coisa que possa estar a acontecer."

A falta de educação e apoio em torno dos problemas da saúde menstrual pode levar as pessoas a tentar lidar com circunstâncias excecionais sem qualquer ajuda.

Endometriose UK disse: "Tivemos histórias de mulheres tendo que trocar os pensos a cada hora durante 14 dias de cada ciclo e só procurando ajuda cerca de uma década depois, porque eles não tinham idéia da frequência com que os pensos deveriam ser trocados".

O diagnóstico imediato de problemas ginecológicos pode impedir as mulheres de lutar por sintomas extremos por conta própria.

Quebrando o estigma

Campanhas recentes com celebridades a revelar as suas próprias experiências com condições reprodutivas, como a endometriose, podem ajudar a quebrar o estigma em torno do assunto.

No entanto, ainda há mais a ser feito.

Endometriose UK disse: "Acreditamos que a consciencialização e a educação são fundamentais para quebrar o estigma em torno da menstruação. Falar de períodos na escola primária e secundária sem constrangimento encorajará essas conversas fora do ambiente escolar. Para além da educação sexual, é necessário garantir que todos os alunos compreendem os sinais das condições relacionadas com a menstruação, para que ninguém tenha de sofrer preconceito ou discriminação em relação à sua condição. Acreditamos também que os alunos devem ser ensinados a ter confiança e confiança nos seus próprios corpos, para que possam falar da sua saúde, quando precisarem. Devem também receber os recursos e as ferramentas para falar com confiança e naturalidade sobre os seus corpos."

Para saber mais sobre o trabalho que a Endometriose UK está a fazer, pode visitar o website deles. A instituição de caridade também tem uma linha de ajuda onde pode discutir a condição e obter apoio.

Se está a enfrentar algum dos sintomas discutidos neste artigo, procure o seu médico.