O Natal é, sem dúvida, um momento para celebração, prendas e um certo exagero.

Uma mistura de clima inóspito e alguns exageros muitas vezes podem ser uma receita para doenças, particularmente durante o inverno, quando os nossos sistemas imunológicos estão mais fracos.

Portanto, embora seja importante relaxar e aproveitar o tempo com os amigos e familiares durante a época festiva, também é vital estar atento e preparado para as enfermidades que possam ameaçar a saúde nesta época.

Sem a intenção de estragar a festa, reunimos uma lista das doenças mais comuns nesta época do ano e o que pode fazer para evitá-las.

1. Gripe

Talvez a mais comum de todas as doenças de inverno, um surto de gripe geralmente passa dentro de uma semana ou mais, mas não é de modo algum agradável quando se há tanto por fazer.

Evitar a gripe significa cuidar do seu sistema imunológico e limitar o risco de infeção. Certifique-se de que está a dormir o suficiente, consuma muitas frutas e vegetais na sua dieta para manter as defesas do seu corpo em dia e consulte o seu médico sobre a vacinação contra a gripe.

2. Intoxicação alcoólica

Uma eventualidade de quase todas as festas de final do ano é que alguém irá exagerar nos copos.

A intoxicação por álcool deve ser levada a sério. É importante lembrar que o fígado só pode filtrar cerca de uma unidade de álcool por hora. Quanto mais e mais rápido beber, mais arriscado é para o seu corpo, então lembre-se de beber moderadamente, mesmo que outras pessoas estejam a exagerar.

3. Intoxicação alimentar

Ter o forno cheio de comida na manhã de Natal tem com os seus perigos. A carne crua e mal cozida, particularmente peru e frango, é uma das principais causas de intoxicação por salmonela.

A melhor forma de evitar a contaminação alimentar é certificar-se de que tudo o que serve está de fato cozido. Planeie o que precisa entrar no forno e quando, e lembre-se de que a sobrecarga pode reduzir a sua temperatura e afetar o tempo do cozimento.

4. Reação alérgica

O tradicional jantar de Natal certamente apresenta riscos para pessoas com alergias alimentares graves. O coquetel de camarão (alergia a mariscos) e os brotos assados ​​com castanhas (alergias a nozes) são apenas dois gatilhos potenciais que os propensos ao choque anafilático vão querer evitar.

Se vai receber pessoas em casa, verificar as necessidades e alergias alimentares de todos antes de preparar o jantar de natal é essencial.

5. Clamídia

O envenenamento por álcool não é o único perigo quando se exagera numa noite fora, ou na festa do escritório. Estudos mostraram que casais que desfrutam de um encontro casual têm muito menos probabilidade de usar proteção quando sob a influência do álcool.

Usar proteção, como o preservativo, é vital para prevenir a propagação de DSTs bacterianas, como a clamídia, assim como fazer o teste regularmente. Leia sobre como reduzir o risco da clamídia.

6. Infeção na ouvido

O tempo frio não é a causa de infeções de ouvido em si. As infeções na garganta, que são geralmente mais comuns no inverno, podem subir pela tuba auditiva e causar infeções desse tipo. Além disso, sair no frio sem proteger a cabeça com o uso do gorro pode aumentar a sensação de desconforto.

Mais uma vez, a melhor defesa é cuidar do seu sistema imunológico e vestir-se adequadamente para o frio.

7. Congelamento

Esquiar é uma escolha popular durante a época festiva para aqueles que procuram passar algum tempo fora. O congelamento de partes do corpo é um risco real para aqueles expostos à temperaturas muito baixas. Sinais comuns são as extremidades ficando vermelhas ou roxas, e sentimentos de dor ou dormência na área afetada.

Se planeia férias de esqui durante o inverno, esteja preparado. Uma vez que tenha todo o equipamento de que precisa, verifique se também tem a roupa quente certa.

8. Hipotermia

Outra condição que pode ocorrer como resultado da exposição à temperaturas frias por demasiado tempo é a hipotermia. Em casos leves, ela caracteriza-se por tremores, cansaço e falta de ar. Em casos mais graves, pode ser até fatal.

Mais uma vez, a prevenção é manter-se aquecido. Isto significa usar camadas suficientes ao sair de casa e trocar a roupa quando chegar em casa no caso dela estar molhada.

9. Malária

Mais e mais pessoas estão a optar por fugir do frio do inverno e comemorar o Natal num local tropical. No entanto, isto tem o seu próprio conjunto exclusivo de perigos.

Antes de viajar para qualquer região tropical, é vital fazer uma sua pesquisa sobre o local e verificar se há risco de algum tipo específico de infeção. Para a malária, estão disponíveis comprimidos que podem ajudar a prevenir a infeção; e para outras doenças, existem várias vacinas disponíveis também. Fale com o seu médico antes de viajar. Faça uma consulta do viajante.


10. Depressão Sazonal

Também referido como o 'blues do inverno', a depressão sazonal é uma condição caracterizada por sentimentos de depressão durante os meses de inverno. Foi só recentemente que o distúrbio afetivo sazonal se tornou reconhecido como uma doença, e acredita-se que seja causado pela falta de luz natural que afeta a produção de melatonina.

É possível limitar os efeitos da depressão sazonal. Isto requer passar mais tempo ao ar livre durante o dia e comer uma dieta balanceada, inclusive de frutas e vegetais, para ajudar a manter os níveis de vitamina D saudáveis.

11. Stresse

O stresse relacionado às compras é exponencialmente mais proeminente em dezembro do que em qualquer outra época do ano. No espaço de um mês, há a Black Friday e a corrida para as compras de Natal, uma combinação garantida para aumentar os níveis de stresse até mesmo de uma pessoa extremamente paciente.

Fazer as compras de Natal o mais cedo possível é uma forma de contornar o stresse de correr ao redor. Outra é tentar completá-la em pequenas etapas, visitando as lojas quando sabe que elas não estarão tão ocupadas.

12. Obesidade

O almoço de Natal é uma refeição que todos esperamos ansiosamente, e é natural que fiquemos mais relaxados a comer mais nesta ocasião especial do faríamos normalmente.

A obesidade é uma condição em ascensão no Reino Unido, e exagerar numa refeição, obviamente, não vai ter muito impacto sobre o IMC de uma pessoa. No entanto, é fácil o hábito de comer demais se tornar frequente durante o período de Natal e se prolongar até o ano novo, quando doenças relacionadas à dieta alimentar passam a se tornar um risco.

É sempre melhor ser consistente com bons hábitos alimentares do que passar pelo ciclo compulsivo e desintoxicante que muitos adotam durante os meses de inverno. Tente manter-se a par da ingestão de calorias e açúcar durante este período e certifique-se de que tenha uma dieta a mais equilibrada possível.