O corpo feminino sofre alterações físicas drásticas durante a gravidez, podendo estas afetar as mulheres de diferentes formas. A gravidez pode ser conhecida pelas grandes alterações em mulheres asmáticas, podendo outras não sofrer qualquer impacto. As alterações podem ir desde uma melhoria dos sintomas de asma a um agravamento da condição. Aqui, iremos discutir as principais preocupações relativamente à asma durante a gravidez.

Asma durante a gravidez

Uma meta-análise* concluiu que um número igual de mulheres asmáticas sofre tanto de um agravamento dos sintomas, como de uma melhoria durante a gravidez. As alterações nos sintomas podem ocorrer a qualquer momento e podem ser temporárias, durar toda a gravidez ou continuar após o parto. As asmáticas com condição agravada têm uma maior probabilidade de sofrer alterações do que as mulheres que vivem com uma forma mais ligeira da condição. 

As mulheres que sofrem um agravamento dos sintomas, notam-no frequentemente no segundo e terceiro trimestres, com o pico por volta dos seis meses. Uma melhoria relativamente a este agravamento ocorre geralmente quatro semanas antes da data do parto. As gravidezes subsequentes tentem a seguir um comportamento semelhante à gravidez do primeiro filho. A maioria das mulheres relata que os seus sintomas voltam ao normal alguns meses após o parto. Algumas mulheres não-asmáticas podem desenvolver asma durante a gravidez, mas esta situação é rara.

Manter-se saudável durante a gravidez

Todas as mulheres devem ter em conta a sua saúde geral durante a gravidez, uma vez que a sua saúde pode ter impacto na saúde do seu bebé. Para as mulheres asmáticas, é importante que sigam os conselhos dados pelo seu médico ou enfermeira. 

De forma a limitar o risco dos sintomas ocorrerem, deve tentar:

  • Parar de fumar. Todos os asmáticos devem tentar parar de fumar, sendo isto particularmente importante se estiver grávida, uma vez que o fumo do tabaco pode provocar um parto prematuro ou causar problemas respiratórios no bebé, incluindo asma.
  • Faça uma dieta equilibrada. Seguir uma dieta equilibrada e variada não só é benéfico para a sua saúde como irá garantir que o seu bebé recebe os nutrientes essenciais ao seu desenvolvimento.
  • Evite fatores desencadeantes. Sempre que possível, deve evitar entrar em contacto com fatores desencadeantes, de forma a manter a asma o mais controlada possível.
  • Siga o seu plano de asma. Assim que souber que está grávida, deverá consultar o seu médico. Este irá rever o seu plano de asma e fazer uma atualização com qualquer informação que respeite a sua gravidez.
  • Informe a sua enfermeira de que sofre de asma. Isto irá permitir tomar quaisquer precauções necessárias durante o tratamento.

Sintomas de asma durante o Parto

Apenas uma pequena percentagem de mulheres asmáticas, cerca de 10%*, irá notar sintomas de asma durante o parto. Isto deve-se ao corpo libertar químicos* durante o processo, que permitem controlar os sintomas. As mulheres grávidas devem ser aconselhadas a usar o seu inalador de alívio durante o parto, se necessário. Também lhes pode ser oferecida a mesma variedade de analgésicos do que às mulheres não-asmáticas, desde que não seja notada qualquer sensibilidade.

Medicamentos para a asma e gravidez

O seu tratamento para a asma é provável de ser o mesmo durante toda a gravidez. Contudo, podem ser feitos alguns ajustes se alguns dos seus sintomas da asma se alterarem. A asma não controlada, devido à falta de medicação, pode acarretar um risco maior para a sua saúde*, bem como para a saúde do seu bebé, do que o uso de medicamentos para a asma. Estudos concluíram que a maioria dos tratamentos para a asma são seguros* para utilização durante a gravidez. Não deve fazer quaisquer alterações à sua medicação sem falar primeiro com o seu médico.

Recém-nascidos e asma

A asma mal-controlada pode resultar em complicações na gravidez. Pode resultar numa presença inferior de oxigénio na corrente sanguínea da mãe, que pode ter um impacto negativo no desenvolvimento do feto. 

Uma vez que a asma tem historial familiar, existe o risco do seu bebé desenvolver a condição. É pouco provável que o diagnóstico de asma seja feito após o parto. Em vez disso, o médico irá considerar o historial familiar do bebé, o estado de saúde da mãe durante a gravidez e os seus sintomas. Lembre-se que muitas crianças superam a asma e que os asmáticos podem viver uma vida completa e saudável.

Amamentação

As mulheres com asma podem amamentar os seus bebés mesmo que tomem medicamentos para a condição. Uma quantidade segura e pequena de medicamento pode ser passada do leite materno para o seu bebé. O tratamento não deve alterar a capacidade do seu corpo produzir leite. 

Se tem dúvidas acerca da asma, gravidez e amamentação, consulte o seu médico. Este será capaz de a aconselhar com base na sua situação em particular.

Página revista em:  26/10/2017