Apesar de algumas pessoas terem um maior risco de sofrer de alergias devido à sua predisposição genética, qualquer pessoa pode ser suscetível a estas, pelo que não existe uma forma que previna completamente a sua manifestação.

Contudo, existem certas medidas que as pessoas com alergias podem tomar para prevenir a sua exacerbação e tratar os sintomas quando estes estão presentes.

Prevenção

As alergias podem passar por períodos de inatividade quando os sintomas são mínimos ou não existentes. Contudo, isto pode alterar-se dramaticamente se entrar em contacto com um alérgeno (substância que desencadeia a alergia).

A melhor defesa contra os episódios de alergia é impedir que estes ocorram, pelo que é importante evitar os fatores responsáveis.

Em casa

Reduzir a exposição aos alérgenos pode ajudar a manter os sintomas de alergia controlados. Assim que tiver identificado os fatores responsáveis, deve tentar removê-los ou limitar a sua presença na sua casa.

Muitas alergias são causadas por substâncias microscópicas como o pólen, os esporos de bolor e os ácaros. Manter estas substâncias longe de casa nem sempre é fácil, mas existem certas práticas que podem ajudar a reduzir a sua presença:

Ácaros

  • Opte por pavimento laminado em vez de carpetes.
  • Limpe as superfícies regularmente com um pano húmido para remover o pó.
  • Lave frequentemente ou aspire a mobília.
  • Mantenha a casa bem ventilada.

Pelos de animais

  • Mantenha quaisquer animais longe dos quartos.
  • Limpe as camas dos animais de forma regular.
  • Qualquer cuidado com o pelo deve ser feito longe de casa.

Esporos de bolor

  • Use exaustores ou ventiladores quando cozinha ou toma banho.
  • Mantenha os quartos bem ventilados para que o ar possa circular.
  • Evite secar roupa dentro de casa.
  • Trate as zonas com bolor ou condensação.

Pólen

  • Mantenha todas as portas e janelas fechadas durante a época de pólen.
  • Evite secar roupa no exterior uma vez que é possível que fique com partículas de pólen.
  • Tome banho assim que entra em casa, a partir de um ambiente exterior, e mude de roupa.

No trabalho

Num estudo em pessoas com alergias feito pela Allergy UK, 27% das pessoas relatou um aumento dos sintomas quando estava no trabalho.

Pensa-se que isto se possa dever a uma alteração ambiental e ao facto de como empregado não ter muito controlo sobre a disposição do escritório.

Existem alguns passos que pode dar, para limitar a forma como as alergias o afetam no trabalho, contudo, deve falar com o seu chefe sobre a sua alergia antes de começar a implementar quaisquer mudanças.

Primeiro, garanta que conhece a substância a que tem alergia. Isto pode incluir realizar testes de alergia com um médico ou especialista.

Como reduzir o risco de alergias no local de trabalho:

  • Mantenha o escritório bem ventilado.
  • Substitua os pavimentos com carpetes por pavimentos de madeira ou antialérgicos.
  • Mantenha a sua secretária o mais limpa possível.
  • Limite a quantidade de poluentes exteriores que entram no escritório ao manter todos os casacos ou roupa exterior numa área longe do local de trabalho.

Alimentos

As pessoas com alergia a certos alimentos, devem ter cuidado sempre que comem fora e em casa devem:

  • Ler os rótulos de todos os alimentos antes da compra.
  • Preparar as suas próprias refeições se possível.

No trabalho as pessoas com alergias a alimentos devem:

  • Garantir que qualquer alimento oferecido por colegas está indicado
  • Levar consigo sempre a sua caneta Epipen
  • Informar o seu chefe e colegas sobre a sua alergia desde início

Tratamento

Não existe cura para as alergias, contudo existem medicamentos disponíveis.

O seu médico de família ou alergologista irá ajudar a determinar o melhor plano de tratamento para a sua condição específica.

Ao longo do tempo podem ser necessárias alterações ou ajustes, à medida que descobre qual o tratamento mais indicado.

Os principais grupos de medicamentos para tratar as alergias incluem:

Anti-histamínicos

Este tipo de medicamentos está disponível em creme, comprimido, líquido, spray nasal e gotas para os olhos.

Cada variação do medicamento oferece alívio ao bloquear a ação do químico histamina.

Este químico está frequentemente presente em reações alérgicas e é um componente fundamental por trás de muitos sintomas. Pode levar à constrição das vias aéreas e ao aumento dos vasos sanguíneos.

Alguns tratamentos deste tipo podem ser tomados previamente à exposição ao alérgeno para minimizar a extensão dos sintomas antes que estes ocorram, caso contrário, podem ser tomados após uma reação para alívio dos sintomas.

Os anti-histamínicos são frequentemente prescritos a pacientes com rinite alérgica, conjuntivite alérgica, alergia a picadas de inseto ou a pelo de animal ou dermatite alérgica.

Historicamente, os anti-histamínicos foram relacionados com uma sensação de sonolência, porém, mais recentemente, os fabricantes resolveram esta questão ao produzirem versões que não causem estes sintomas.

Emolientes

São administrados como cremes ou loções tópicos e usados para tratar o eczema e as condições de pele que causam secura.

A pele seca fica irritada facilmente o que pode causar comichão e fissuras na pele. Estas fissuras podem por vezes ficar infetadas, tornando o tratamento mais difícil.

Os emolientes atuam ao aliviar as áreas irritadas por criarem uma barreira protetora por cima da pele, ajudando a manter a hidratação.

Alguns emolientes também têm propriedades antibacterianas para ajudar a prevenir a infeção ou um agente esteroide para limitar a inflamação.

Podem ser necessárias várias tentativas antes de encontrar um emoliente que se adeqúe à sua condição de pele. Algumas condições não se adaptam a cremes muito espessos, enquanto outras não se adaptam a pomadas muito gordurosas.

Corticosteroides

Estes tipos de esteroides contêm uma versão artificial da hormona natural cortisol que é produzida pela glândula adrenal.

Estes podem ser usados para tratar várias alergias, incluindo a asma, a rinite alérgica e o eczema.

Este tipo de medicamento ajuda a reduzir a resposta inflamatória desencadeada por uma reação alérgica. Para os asmáticos isto significa que as suas vias aéreas constritas podem relaxar, permitindo uma respiração mais fácil.

Podem ser prescritos em várias formas incluindo injeções, inaladores, comprimidos, cremes tópicos, loções ou géis.

Injeções de adrenalina de auto administração

Este tipo de medicamento é prescrito no caso de reações alérgicas extremas, conhecidas como choque anafilático.

O choque anafilático é uma condição que pode colocar em risco a vida. A libertação de histamina neste caso leva à constrição das vias aéreas ao ponto de tornar difícil a respiração, podendo mesmo resultar em perda de consciência.

Em tratamentos auto injetáveis como o Epipen, o princípio ativo é a epinefrina, também conhecida como adrenalina. Quando injetada, esta substância ajuda a diminuir o inchaço ao contrair os vasos sanguíneos e abrir as vias aéreas, tornando a respiração mais fácil. Os dispositivos autoinjectáveis como o Epipen estão desenhados para uma administração fácil e rápida.

Estes devem ser sempre transportados pela pessoa com alergia para o caso de ocorrer uma reação.

Imunoterapia

Este tipo de tratamento atua ao treinar o sistema imunitário para reconhecer que um alérgeno não representa uma ameaça. Atualmente, este é o tratamento mais próximo da cura para certas alergias.

Inicialmente, uma pequena quantidade do alérgeno responsável é introduzido no paciente num ambiente controlado. Este é normalmente administrado por injeção ou por uma amostra debaixo da língua.

Após um período de tempo, quanto mais alérgeno é introduzido, melhor o sistema imunitário aprende a tolerar a substância.

A imunoterapia não está indicada para todas as alergias. No Reino Unido, por exemplo, apenas é usada em pessoas com alergia a picadas de inseto, pólen e pelos de animais.

Deve ser tido em conta que este tratamento acarreta risco, mesmo quando é feito em ambiente hospitalar. É necessário tempo, esforço e dinheiro e não é garantido que produza resultados.

Remédios naturais

Lidar com uma doença crónica como uma alergia pode ser difícil. Especialmente se esta envolver tomar medicamentos para o resto da vida. Algumas pessoas procuram os tratamentos naturais como alternativa.

É importante lembrar que se quer fazer adaptações ao seu plano de tratamento para a alergia, incluindo a introdução de tratamentos naturais, deve falar primeiro com o seu médico.

O vinagre de cidra há muito tempo que é referido pelos seus utilizadores como um elemento com vários benefícios para a saúde. Contudo, a sua utilização nos casos de alergia não foi cientificamente comprovada.

A investigação sobre a utilização de probióticos em alergias continua. A relação entre um intestino saudável e o sistema imunitário não é completamente compreendida. Contudo, algumas pessoas acreditam que incluir alimentos e bebidas probióticas nas suas dietas pode ajudar a controlar as suas alergias.

Várias pessoas como rinite alérgica acreditam que consumir uma porção diária de mel local pode contribuir para a diminuição dos sintomas de alergia. Infelizmente a ciência por trás desta teoria é menos convincente. Um estudo concluiu não haverem benefícios no alívio dos sintomas quando foi dado mel a um grupo de teste.

Página revista em:  09/05/2018