É natural sofrer de preocupação quando recebe um diagnóstico de alergia. Uma vez identificado o alérgeno, o seu médico irá encorajar evitar o contacto com esta substância sempre que possível.

O seu tipo de alergia em particular pode significar que poderá ter de fazer algumas alterações ao seu estilo de vida de forma a evitar exacerbar a sua condição.

Dieta

Se sofre de uma alergia alimentar, é provável que tenha de fazer alterações à sua dieta.

A melhor forma de lidar com uma alergia é evitar o alérgeno responsável. Por isso, se já conhece a sua reação a alimentos com amendoins, por exemplo, deve removê-los por completo da sua dieta.

Contudo, as pessoas que sofrem de alergias que não necessariamente causadas por alimentos, podem também optar por fazer alterações à sua dieta.

Muitos sintomas de alergias são causados pela libertação de um químico conhecido como histamina. Existem alimentos que contêm níveis elevados de histamina e que por isso podem agravar os sintomas. Os alimentos que induzem a libertação de excesso de histamina incluem alimentos cítricos, tomates, peixe, carne de porco e especiarias.

Se estabelecer uma relação entre um tipo particular de alimento e os seus sintomas de alergia, pode excluí-lo da sua dieta. Contudo, deve consultar o seu médico antes de fazer alterações significativas à sua dieta.

Dieta Mediterrânica

A dieta mediterrânica é reconhecida como uma das dietas mais saudáveis do mundo. As refeições e lanches incluem alimentos como vegetais frescos, fruta, frutos secos, peixe e pequenas quantidades de carne vermelha.

Ao longo dos anos, vários estudos sugeriram que seguir este tipo de dieta pode combater várias doenças incluindo a hipertensão, a obesidade e a doença cardíaca coronária.

Para além disto, pensa-se que a dieta mediterrânica também fornece alguma proteção contra o eczema, as alergias alimentares e a asma. É necessária mais investigação para perceber em que situações esta dieta é mais eficaz a fornecer proteção (como durante a gravidez ou amamentação).

Probióticos

Estudos recentes têm abordado os benefícios dos probióticos como tratamento de algumas alergias.

Alguns retalhistas alimentares têm produzido produtos com “bactérias boas”, contudo, a evidência por trás destes produtos probióticos não está completamente confirmada. De acordo com a Universidade de Harvard, ainda não foi estabelecida uma relação entre o consumo de produtos probióticos e a melhoria da saúde imunitária*.

Se está a pensar fazer alterações na sua dieta de forma a melhorar os seus sintomas de alergia, deve falar primeiro com o seu médico. Este poderá dar aconselhamento ou fazer a indicação para um especialista para que possa ter toda a informação antes de cortar quaisquer alimentos.

Uma regra importante é seguir uma dieta variada e equilibrada que inclua alimentos de todos os grupos alimentares para se manter saudável.

Exercício

Fazer exercício físico regular e permanecer ativo é importante para todos, incluindo aqueles com alergias. Dependendo da natureza da sua alergia, pode ter de realizar algumas alterações à sua rotina de exercício físico de forma a evitar os sintomas.

Muitas pessoas com alergias sofrem de algum tipo de reação respiratória como: corrimento nasal, vias áreas constritas, aperto no peito ou pieira. Este tipo de reações pode por vezes ser agravada pela respiração profunda.

Durante o exercício físico é normal alterarmos a respiração do nariz para a boca. Isto pode revelar-se problemático uma vez que o nariz atua como um filtro de ar natural que também aquece o ar antes que este chegue às vias respiratórias.

Respirar pela boca também faz com que os alérgenos sejam inspirados mais profundamente para o sistema respiratório.

Existem algumas medidas que pode tomar para reduzir o risco de sofrer uma reação alérgica:

  1. Aquecer antes do exercício.
  2. Se necessário, tomar medicamentos antes de começar o exercício.
  3. Verifique a meteorologia, a contagem de pólen e os níveis de poluição.
  4. Equipe-se adequadamente. Use roupa adequada e leve sempre os seus medicamentos consigo, como os inaladores de alívio ou as canetas de adrenalina.
  5. Informe os instrutores sobre a sua alergia antes de iniciar o exercício.

Se teve uma má experiência no passado como a exacerbação dos sintomas enquanto pratica exercício, é melhor começar por exercício ligeiro num ambiente controlado.

As pessoas diagnosticadas com alergia induzida pelo exercício continuam a ser encorajadas a treinar, porém, devem escolher um tipo de exercício menos intenso.

Nadar numa piscina aquecida é um bom exercício para todo o corpo e o ar quente e húmido pode reduzir o risco de uma reação respiratória.

Pode ser necessário realizar vários exercícios antes de perceber qual o mais indicado para si e para a sua alergia.

Se tiver realizado exercício físico e tiver desenvolvido uma reação, pense nos fatores que possam ter sido responsáveis:

  • Como estava o tempo?
  • Em que momento do dia foi feito o exercício?
  • Estava presente uma contagem elevada de pólen?

Ao fazer estas questões, é possível estabelecer um padrão de fatores que pode evitar no futuro, para que possa apreciar o exercício em segurança.

Estilo de vida

A combinação de exercício regular com uma dieta saudável irá ajudar a manter um índice de massa corporal (IMC) saudável.

Estas medidas são importantes para toda a gente e não apenas para as pessoas com alergias, uma vez que alguns estudos sugerem que para além de levar à hipertensão arterial e a outras condições cardiovasculares, a obesidade pode aumentar o risco de certas alergias, particularmente em crianças*.

Se as suas alergias estão a afetar o seu estilo de vida, deve falar com o seu médico ou o seu alergologista.

Estão disponíveis vários medicamentos para melhorar os sintomas e reduzir as reações. Porém, a sua atitude também desempenha um papel. Com a combinação de medicamentos e de um estilo de vida saudável, a maioria das pessoas com alergias consegue ter uma vida normal e completa.

Página revista em:  03/05/2018